Tamanho da fonte:-A+A

Quanto realmente rende uma aplicação em CDB?

Paulo Krieser // segunda, 18/06/2012 11:01

Com a queda da Selic para 8,5% ao ano (a menor desde o Plano Real) e a mudança nas regras da poupança, muitos investidores se perguntam qual a melhor opção em renda fixa. Sem tentar comparar diversas aplicações, esta coluna visa analisar um ponto distinto: o rendimento real de uma aplicação, mais especificamente em CDBs.

Estamos acostumados com o número que ancora o nosso raciocínio, divulgado na mídia: 8,5% ao ano. Aplicando 100 mil reais, isso resulta em 8.500 reais no primeiro ano. Pegando a título de exemplo o CDB do Banco do Brasil, nos últimos 12 meses ele rendeu em média 8,27%.

Vamos então aprofundar o raciocínio. O Brasil, desde o Plano Real, tem conseguido controlar a sua inflação. Desde 1995/96, as empresas não precisam mais ajustar o seu balanço pela inflação e contabilizar o lucro inflacionário.

A economia não foi mais indexada, e isto condicionou o investidor médio a se despreocupar com a inflação, em função de seu valor pequeno. Lembremos que a inflação é uma "taxa de juros", e esta deve ser calculada por juros composto ao longo dos anos para contabilizar a real perda inflacionária. Mesmo com uma inflação em torno de 5% ao ano, este valor calculado exponencialmente ao longo de 15 anos é dobrado.

 

O efeito inflacionário

OK, então descontemos a inflação do nosso rendimento. 8,27% menos 5%, resulta em 3,27%, correto? Não! Aqui ocorre outro erro muito comum. Ao subtrairmos duas taxas de juros, não podemos simplesmente realizarmos a subtração simples. Por serem duas taxas ao longo do tempo, elas representam crescimento exponencial, impedindo a simples subtração. Para o cálculo correto da taxa real, devemos recorrer a fórmula de Fisher:

 
Rentabilidade Real = ((Rentabilidade Nominal + 1) / (Inflação + 1)) - 1
 
R = (0,0827 + 1 / 0,05 + 1) - 1 = 3,1143%
 
E lá se vão mais alguns décimos de rendimento. Pegando a diferença entre o cálculo correto e o errado, no primeiro ano já temos cerca de 150 reais de diferença (Fisher de novo).
 
Bom, não podemos esquecer de nosso principal sócio: o governo. A tabela de tributação sobre o rendimento em CDB varia de acordo com o tempo que os recursos ficam aplicados, aumentando quanto mais cedo se resgatar o valor.
 
Vamos utilizar 1 ano e 1 dia como parâmetro, o que implica em 17,5% de tributação de IR na fonte sobre o rendimento.
 
Botando tudo isso na conta, temos um rendimento real, após tributos, de incríveis
 

1,667%

 
Graças ao nosso querido governo, com suas intervenções no Banco Central, estamos com essa taxa de juros artificialmente baixa. Lembrando que os juros devem refletir o risco para atrair investidores, qual investidor estrangeiro vai querer colocar o seu rico dinheirinho em um país com o risco soberano como o nosso?
 
Paulo Krieser
Paulo Krieser é CEO e Fundador da Econodata, Diretor Executivo da Krieser IT Solutions, Mestrando em Administração de Empresas pela USP e Graduado em Ciência da Computação pela UFRGS. Possui 9 anos de experiência como empreendedor e mais de 12 anos de experiência no mercado de TI.
COMENTÁRIOS
Gabriel

postado em: 18/06/2012 - 11:45

Prezado Paulo, se o governo está conseguindo captar dinheiro com essa taxa de juros, não vejo por que alguém deveria reclamar que ela está baixa demais. O mantra liberal sempre foi de que o estado deve fazer o mínimo e remunerar bem os pilas excedentes não é bem um direito fundamental do cidadão. Tampouco vejo como uma das taxas mais altas do mundo possa ser vista como "artificialmente baixa"; nossa vizinha (e querida) Colômbia tem uma taxa básica de 4,75%. Não me atrevo a dizer que o país amigo seja melhor ou pior que o nosso, mas certamente não é muito diferente (menos diversificado economicamente, provavelmente). Olhando o orçamento da União, vejo que pelo menos 45% vão para o pagamento de juros. Então, se queres manter os juros como estão, vais ter que encarar o fato de que os impostos permancerão altos e os investimentos baixos; não é exatamente uma combinação agradável para o empreendedor.

Rodrigo da Silva Guerra

postado em: 20/06/2012 - 00:04

Muito bacana o cálculo, e eu nem lembrava mais da fórmula de Fisher. Pois é, realmente baixando os juros a renda fixa rende bem menos, mas aí o carinha que estava na dúvida entre botar uns trocos no banco ou fazer um negócio (abrir banca de cachorro quente, comprar um taxi, etc) vai optar pelo negócio. Isso ajuda a movimentar a economia, fazer as coisas acontecerem no país. Além disso o dinheiro também fica mais barato de tomar emprestado, ajudando ainda mais no movimento da economia. Uma pena que os bancos não façam mais transparentes essas taxas reais. Já quanto aos impostos abusivos, estamos na mesma página.

paulo

postado em: 23/06/2012 - 11:06

Obrigado pelo seu comentário.
OK, movimenta a economia. Mas devemos lembrar que alguém sempre paga a conta. A relação risco x retorno com taxas mais baixas não compensa para o investidor, que migra para outras alternativas. A captação do Governo pode diminuir, causando déficit de caixa, o que implica em formas mais caras de captação.

Liliane

postado em: 13/11/2012 - 14:51

Paulo, isso quer dizer que se eu aplicar 100 mil, em um ano, meu rendimento será de R$ 1.667,00 (descontado o IR)?? Isso é menos do que daria a poupança, não? Como que todos dizem ser o CDB uma aplicação mais rentável que a poupança? Fiquei preocupada agora, pois fiz recentemente uma aplicação dessas... Obrigada.

paulo

postado em: 15/11/2012 - 16:58

O CDB era mais rentável que a poupança há alguns anos atrás. A poupança ultrapassou o CDB com a queda da Selic, porém recentemente alteraram as regras da poupança. Assim, ela não é mais tão rentável para quem inicia uma aplicação agora.

Anônimo

postado em: 12/11/2013 - 16:14

Não, vai render 8 mil e pouco...porém tem a depreciação do valor por causa da inflação que chega a mais de 6% a.a + aliquota do I.R... mil e pouco vai ser seu rendimento real!

Ezequias

postado em: 15/11/2012 - 15:51

Paulo, tenho o mesmo questionamento da Liliane. Aproveito, também, pra te fazer uma pergunta. Qual o melhor investimento hoje pra quem tem 40.000,00 para investir ?

Anônimo

postado em: 08/01/2013 - 20:54

Paulo, não consegui entender o cálculo do imposto de renda sobre a rentabilidade real. imposto de 17,5% é suficiente pra abaixar a rentabildiade de 3,1143% para 1,667 % ? Essa conta está coerente ?

Abraços

josimilson

postado em: 12/01/2013 - 22:34

Olá Paulo.
Recebi uma importância de R$ 40.000,00 e gostaria de sua ajuda para fazer um bom investimento e lucrativo. Não tenho presa no tempo da aplicação.
Grato,
Josimilson

Wolfgang Rosner

postado em: 08/05/2013 - 10:17

Falando de atrair estranjeiros: A expectativa das mudancas da taxa de cambio deve ser no inicio das consideracoes. Como é bem provável que o Real desvalorizar ainda mais adiante o dólar ... melhor ficar no USD, eu acho, para quem mora no exterior. Agora, o estranjeiro que mora aqui no Brasil (como eu), tem que considerar a inflacao que deve ficar em volta de 10% ao ano agora. Deixando dinheiro no exterior, ele vai perder cada vez mais pq no exterior eles pagam muito menos juros e o Real nem desvaloriza tao marcado como deveria considerando as diferencias entre as taxas de inflacao.

Agora se ele tiver trago tudo pra cá, e se ele quiser voltar para Europa ou EUA num dia no futuro, ele vai perder tambem pq a taxa de cambio vai ser pior, provavelmente. Quero dizer: O estranjeiro tem que escolher entre pestilencia e cholera, o que gosta mais?

Mas a gente tem que entender: nao existe direito de ganhar dinheiro por fazer nada. E para vcs brasileiros já é ótimo ganhar 1,67% ao ano de fazer nada.
Comprando um imóvel de alto padrao rende em volta de 3,6% ao ano (sem calcular manutencao do imóvel).
Eu acho mais rentável comprar um imóvel de baixa qualidade numa comunidade. Lá o retorno é maior. 40000 R$ já compram um kitchinete na favela. Minha dica.

Fernando

postado em: 24/02/2014 - 10:25

Paulo, qual o melhor investimento seguro para quem tem R$ 1.000.000,00 para e quer multiplicar essa quantia rapidamente?
Obrigado

Osanjos

postado em: 17/04/2014 - 11:24

Paulo, não consegui entender o cálculo do imposto de renda sobre a rentabilidade real. imposto de 17,5% é suficiente pra abaixar a rentabildiade de 3,1143% para 1,667 % ? Essa conta está coerente ?

Abraços

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
Teletex

Numa parceria ideal para seus problemas de gerenciamento, a Cisco, a NetApp e a WMware apresentam o FlexPod Express através da Teletex 360º IT solutions. Uma solução pré-testada que utiliza servidores e switches Cisco Unified Computing System TM, armazenamento NetApp FAS2200 e software de virtualização VMware e que acelera sua transformação de uma infraestrutura complexa e baseada em silo em um ambiente virtualizado de forma acessível, rápida e eficiente

No mês de maio, a Teletex 360º IT solutions, a Microsoft e a SoftwareOne brindaram seus clientes com uma palestra em um local inusitado, o Museu TAM. Com a integração dos conceitos da aviação com as soluções da Microsoft para a nuvem, os clientes tiveram abordagens interessantes para que essas soluções façam parte do seu dia-a-dia, vindo a melhorar sua performance empresarial e facilitar tanto o gerenciamento quanto a utilização pelos usuários finais.

Teletex
Teletex - Site Teletex - Facebook Teletex - Blog Box2U