Tamanho da fonte:-A+A

Uma boa empresa para se trabalhar

Paulo Krieser // sexta, 20/02/2009 11:20

Todos gostamos de trabalhar em um ambiente que nos proporcione crescimento, aprendizado e ao mesmo tempo seja divertido. Assim, o objetivo da coluna desta semana é definir o que é uma boa empresa para se trabalhar.

Vou colocar inicialmente alguns aspectos que acho relevantes. Assim, comentários dos leitores são muito bem vindos para complementar o texto e dar feedback sobre este importante assunto.

Acredito que, em uma visão macro, podemos citar 3 principais fatores que são avaliados para qualificar se uma empresa é um bom lugar para se trabalhar:

- ambiente de trabalho
- benefícios
- crescimento e aprendizado

A questão do ambiente de trabalho (clima organizacional) tem assumido uma posição de destaque, principalmente no meio de TI, onde sobram vagas e faltam profissionais para preencher estas vagas. Um bom ambiente de trabalho contempla uma equipe bem qualificada, onde prevalece o espírito de cooperação, e onde eventuais divergências possam ser conciliadas entre as partes.

Aqui cabe salientar a importância de se ter um líder que possa observar estas questões e atuar quando for necessário. Atividades de integração entre a equipe também são muito bem vindas, bem como treinamentos e palestras. A troca de informações e conhecimento entre os membros da equipe deve fluir naturalmente, para o benefício de todos.

Benefícios contemplam salário, plano médico e odontológico, vale refeição e vale transporte, horas extras e outros fatores. Corresponde ao valor que o funcionário recebe pelo seu trabalho. É um aspecto de bastante relevância, porém de forma isolada não retém nenhum talento na empresa.

O último fator, crescimento e aprendizado, talvez seja o mais importante. Os leitores críticos por favor, discordem e indiquem quais fatores levam mais em consideração.

O crescimento nos faz evoluir, não apenas tecnicamente na área afim, mas como pessoas, incrementando nossos relacionamentos pessoais e mudando a nossa visão de mundo.

O mundo corporativo é um ambiente extremamente complexo, onde conforme vamos subindo na carreira, vamos alterando nossos modelos mentais de forma a entender um pouco melhor como funciona a dinâmica das empresas e dos mercados. Neste ambiente complexo, os elementos-chave são as pessoas.

Assim, levando em consideração todos os aspectos, acredito que o de maior relevância é a questão das pessoas com que se quer trabalhar. As pessoas formam o ambiente de trabalho, propiciam o crescimento e no final, dão os benefícios adequadamente.

No momento do profissional escolher a empresa em que quer trabalhar, deve sempre verificar os princípios e valores da organização, para ver se são compatíveis com seus valores pessoais.

Paulo Krieser
Paulo Krieser é CEO e Fundador da Econodata, Diretor Executivo da Krieser IT Solutions, Mestrando em Administração de Empresas pela USP e Graduado em Ciência da Computação pela UFRGS. Possui 9 anos de experiência como empreendedor e mais de 12 anos de experiência no mercado de TI.
COMENTÁRIOS
Alexandre Aguiar Dedavid

postado em: 17/02/2009 - 14:14

Boa tarde! Gostei do post. Penso parecido, entretanto acredito que existe um fator em especial que é responsável por estes 3 fatores citados pelo Paulo. É a liderança.

Como são os líderes da empresa? São os que tem mais tempo de casa, ou são os que se destacam no trabalho e demonstram maior habilidade para lidar com pessoas? Como a empresa se posiciona com relação à liderança? É algo somente para a alta hierarquia (gerentes, diretores), ou existe um programa de desenvolvimento de novos líderes aberto a todos desde o estagiário até o presidente?

Uma vez tendo bons líderes, um bom clima organizacional se constrói muito mais facilmente, com respeito mútuo e valorização entre as pessoas. Tendo bons líderes, a empresa gera maiores resultados e, consequentemente, pode valorizar melhor seus profissionais com benefícios financeiros e não-financeiros. E, por fim, tendo bons líderes e um processo de desenvolvimento de liderança, o ambiente de aprendizado se torna mais rico e o crescimento profissional acontece com maior naturalidade.

Resumindo, se a empresa tem bons líderes e possui um processo de desenvolvimento de novos líderes, então esta é uma boa empresa para se trabalhar.

Grande abraço!

Felipe Basso

postado em: 18/02/2009 - 09:26

Bom dia, Paulo! Parabéns pela coluna. Muito oportuna! Sugeriria a adição do verbo Descentralizar. Pode parecer estranho, mas há muitos "centralizadores", pessoas que precisam ver e rever tudo que acontece em suas empresas ou em seus departamentos e assim burocratizam e emperram todo o esforço da equipe. E quando essa pessoa está em uma posição de liderança pode ser muito prejudicial.
Abraços, Felipe Basso.

Claudio Kinzel

postado em: 18/02/2009 - 21:54

Domenico de Masi, sociólogo italiano, é o autor do conceito de ócio criativo: a união entre trabalho, lazer e estudo. Ele argumenta que vivemos na Era Digital, na qual cada vez mais o trabalho criativo será necessário e importante para as empresas, eliminando o esforço repetitivo e o pensamento massificado. Infelizmente as empresas e os próprios funcionários ainda estão presos ao modelo Industrial, no qual velhas idéias como cartão ponto, carga horária, separação entre "trabalho" e "diversão" e submissão ainda se fazem presentes em praticamente todas empresas. Vivemos num momento de transição e acredito que somente em algumas décadas é que as mudanças efetivamente irão acontecer e revolucionar o próprio conceito de trabalho. Empresas que já perceberam essa mudança, como o Google, por exemplo, estão anos-luz em relação às demais.

Harruan Antonio

postado em: 27/06/2011 - 11:40

Bom dia, Paulo!!! Excelente matéria, e um assunto bastante importante hoje em todas as empresas. Estou aqui não para comentar mais sim para pedir uma sugestão, se for possível ficarei muito satisfeito. Na empresa em que trabalho passamos por uma desmotivação geral das pessoas que as integram nos setores de produção. Isso porque dos 3 fatores citados na sua coluna não são prioridades para o gerente e diretor da empresa. O ambiente de trabalho tem um clima pesado e de muita pressão, os beneficios não existem e aqueles que querem crescer no aprendizado não conseguem o reconhecimento financeiro mesmo realizando as terefas que caberiam as pessoas que recebem mais por isso. Então quem faz parte da liderança não tem mais ferramentas para motivar os colaboradores, ja que as palavras não mais convencem devido as pessoas que comandam ( gerente e diretor) não valorizam os colaboradores como deveriam. Existe alguma forma de mudar essa situação? Desde já meus agradecimentos...tenha um bom dia.

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.