Tamanho da fonte:-A+A

Geisy Arruda (Bonitinha mas Ordinária)

Felipe Basso // quarta, 11/11/2009 07:51

Cada povo tem a minissaia que merece. Todo mundo parece a favor de Geisy Arruda. Isso basta para provar que algo está errado. Toda história tem três versões, que são: a dos dois lados envolvidos e a do Caetano Veloso. O poeta baiano ainda não se manifestou sobre o assunto (ou pelo menos, eu não li). Tentei ligar para o seu celular. Ninguém atendeu, mas ele mandou uma mensagem. “Não me venha falar na malícia de toda mulher”. Logo em seguida, recebi outra. “Como podes querer que a mulher vá viver sem mentir?”.

Deve ter alguma coisa por trás da história da Geisy. E não são os alunos da Uniban. Aliás, o Diário Oficial da universidade traz uma matéria interessante. “Semana Selvagem conta com renomados profissionais da medicina veterinária”. Não quero fazer insinuações levianas, mas talvez os estudantes possam ter sido influenciados.

O apresentador Jô Soares também fez sua manifestação em favor da moça. Vestiu-se com o uniforme do Chicago Bulls, dizendo. “"Esse meu uniforme é um protesto contra a expulsão da estudante. Eu acho que se a pessoa vai estudar, pode ir como quiser". No programa, tudo bem. Mas não aconselho o Jô a passear pela Uniban ou por qualquer outra universidade, vestido desse jeito. Os alunos não perdoariam. A Geisy de minissaia é polêmica. O Jô a la Michael Jordan é covardia.

A declaração do Jô Soares me lembrou uma conversa com um professor universitário, que me reclamava o seguinte. Ao entrar na sala para ministrar sua aula, encontrou um dos alunos, de havaianas e bermudão, com as pernas peludas (peludas foi o adjetivo usado por ele) postas sob a classe. “Por favor, tire essas pernas (não sei se ele falou peludas) da classe, pois se um dia eu precisar lhe entrevistar para um emprego, só me lembrarei delas”. Uma dica. Se quiserem emprego, podem usar havaianas, mas depilem as pernas.

Se o dramaturgo Nelson Rodrigues fosse vivo, Geisy talvez fosse convidada a participar de um remake de Bonitinha mas Ordinária. Assim, pelo menos, ela seria lembrada como personagem literária e não esquecida como capa de revista embaixo dos colchões dos estudantes.

Felipe Basso
Felipe Basso é jornalista.
COMENTÁRIOS
ingridwitter

postado em: 11/11/2009 - 15:13

Olá !
Gostei muito de seu comentário.
Nós alunos não estamos mais aguentando essa história.Todo dia tem alguem na frente da Universidade fazendo barulho e atrapalhando nossos estudos...todos querendo dar lição de moral...Mas é claro ISSO PODE...
Ou pessoas ofendendos os estudantes da Uniban como se fossemos bichos ...mas é claro isso não é preconceito...Julgar 60 mil alunos por causa de alguns...isso tambem pode ...e duvido que se acontecesse isso dentro de outra universidade não fosse diferente...pois desculpe falar ...mas isso é bem coisa de homem...primeiro chama de gostosa...e depois xinga...Num é assim?em todo lugar...até no transito...se uma mulher te da uma fechada é vagabunda...num é? é tanta hipocrisia que não aguento mais.
Mas agora vamos falar de coisa séria...e qd foi encontrado um aluno morto na USP...quase nem falaram disso né? Mas é claro isso pode, pq é uma Universidade federal...pq quem paga trezentos reais e gente ralé, bandido , estuprador...e claro não é preconceito...

Obrigada
Foi só um desabafo

Rodrigo

postado em: 11/11/2009 - 15:31

Este foi o texto mais inútil e sem uma posição definida que já li no baguete ...

Felipe Basso

postado em: 11/11/2009 - 15:41

Olá Ingrid. A mídia raramente é justa e, muito menos, imparcial. A Geisy virou um personagem. A multidão de alunos (que estão recebendo os comentários preconceituosos) não são. Infelizmente. Obrigado pelo desabafo. Grande abraço, Felipe

Felipe Basso

postado em: 11/11/2009 - 15:56

Caro Rodrigo, tudo tem uma primeira vez. Grande abraço. Felipe

Botelho Souza

postado em: 11/11/2009 - 16:02

Que texto mais inútil... não toma uma posição e ainda não segue uma linha de raciocínio...
Entrei achando que ia ler algo interessante...
Escreveu escreveu e não disse nada..

Felipe Basso

postado em: 11/11/2009 - 16:28

Oi Botelho. Duas vezes inútil no mesmo dia é fogo..Não tinhas um outro adjetivo? Grande abraço! Felipe

ingridwitter

postado em: 11/11/2009 - 16:35

Continuo gostando de seu texto, principalmente por tudo estar entre linhas e nos faz pensar.
Opiniões sobre esse caso ja ouvi bastante e foram as mesmas.
Parece que algumas pessoas estão abrindo a cabeça...mas a critica não existe em muitas ...acreditam no que é falado...e levam como verdade...
Senso Comum é PHODA!!!!!!!!!!!!!!

sophia oliveira

postado em: 11/11/2009 - 17:06

adorei a coluna. vou enviar para todos os meus colegas.

Felipe Basso

postado em: 11/11/2009 - 17:09

Oi Sophia! Que bom que você gsotou. Um grande beijo. Tio Pino!

emily sasson

postado em: 11/11/2009 - 18:30

Felipe, temo que sutilmente vc tenha sido um pouco machista no seu texto ao tentar levantar a questão da malicia de toda mulher. Geisy não é inocente no sentido de ingenua, isso tá na cara, e quis polemizar mesmo. E ainda se vai tirar proveito da situacao pra posar nua ou lutar pelos direitos da mulher é problema dela. discutiremos depois. porém, nada justifica uma reação tão retrógrada dos jovens universitários. isso é o que assusta. esse é o ponto. as opinioes sao radicalmente contra esse tipo de atitude e nao a favor de geisy. como vc mesmo disse, ela virou personagem (secundária, eu diria). será que isso se repetiria em outras universidades? será q se algum menino gay deixar claro, através das roupas, sua opção sexual, tb vai levar porrada? e religiosos que se cobrem da cabeça aos pés? Em qtas outras universidades isso se repetiria? o horror é que provavelmente em muitas. Na minha opinião, a discussao deve ser ampliada nesse sentido. cheers, Emily. p.s. boa sacada a brincadeira com o caetano, mas, no caso, ele estava elogiando as mulheres...

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.