Baguete
InícioNotícias> E-commerce da Casas Bahia aceita usados

Tamanho da fonte:-A+A

INOVAÇÃO

E-commerce da Casas Bahia aceita usados

Maurício Renner
// sexta, 17/02/2017 14:01

A Casas Bahia começou a aceitar celulares e tablets usados em troca de abatimento na compra de um novo produto, por meio de uma parceria com a Brighstar, multinacional de recompra de telefones.

Quanta gente, quanta alegria. Foto: Divulgação.

De acordo com a Via Varejo, dona da marca, é o primeiro site de comércio eletrônico no país a trabalhar nesse sistema. 

Equipamentos de segunda mão também serão aceitos nas lojas físicas da Casas Bahia e Ponto Frio, o que já é uma prática mais frequente.

No caso do e-commerce, os interessados Os interessados devem acessar um hotsite, no qual é feito um cadastro do produto a ser trocado. 

Realizada a análise, é gerada uma proposta. Caso aceite, o cliente deve encaminhar o produto pelos Correios, com frete e a embalagem para postagem gratuitos. 

Se o produto não estiver de acordo com a descrição fornecida, é feita uma segunda proposta, que o cliente pode negar sem custo de devolução. 

Caso aprovada a recompra, o vendedor recebe um cartão presente da Casas Bahia no valor.

“O serviço visa aumentar o poder de compra de nossos clientes para que tenham acesso a produtos premium e de forma sempre competitiva”, afirma Fernando Spinelli, gerente de Serviços e Mobile da Via Varejo. 

De acordo com a IDC,  ticket médio de um smartphone no país é R$ 962,96 e aparelhos de menos de R$ 1 mil representam 76,1% do mercado total. 

A crise econômica vem causando uma desaceleração nas vendas de smartphones no país, Foram cinco trimestres consecutivos de queda até o final do ano passado, quando houve uma recuperação de acordo com o IDC.

A nova situação tem gerado oportunidades de mercado para sites de revenda de celulares de segunda mão como o Ziggo ou Trocafone (este último também faz logística reversa no varejo convencional).

A pioneira a fazer isso no mundo físico foi a Vivo, com um acordo com a mesma Brightstar, ainda em 2013. A empresa coloca os celulares de segunda mão em mercados como o africano, por exemplo.

Maurício Renner