Lonny Szneiberg. Foto: Divulgação.

Já vivemos em um mundo de aplicativos. Hoje, só no Brasil, o Android - sistema operacional do Google para celulares e tablets - existe em mais de 83% dos aparelhos mobiles, o que o torna como primeira escolha natural dos brasileiros.

Investir nesse sistema operacional pode ser um bom passo para o seu aplicativo. Após o sucesso de alguns apps que ajudei a lançar e desenvolver, reuni algumas dicas que podem ajudar quem deseja seguir por esse caminho inicial e ter um bom retorno:

 

1 - Construa um bom produto

Não importam os truques de marketing e investimentos que você tenha na manga, se não construir uma experiência fantástica para o usuário, o app não vai funcionar. 

Hoje em dia, o Google mede as atividades completas dos aplicativos: instalações, desistências, tempo e frequência de uso, reviews e calcula todos esses dados em seu ranking de apps para determinar sua relevância. Por isso, invista em algo que atraia o seu público.

 

2 - Tire proveito da fase Beta

Uma vez que o produto está pronto, comece um grupo Beta – o ideal é ter cerca de 400 pessoas, de diferentes lugares, para receber o máximo de feedbacks. Essa é uma das fases mais importantes, pois é a hora de testar seu aplicativo em todos os dispositivos possíveis, corrigir falhas e, assim, antecipar, canalizar e corrigir as críticas negativas. 

Usuários sempre encontram uma maneira de nos surpreender, então esteja preparado para alterações de última hora e melhorias. Lembre-se de facilitar o envio dos feedbacks direto do seu aplicativo. Você pode usar ferramentas como "Instabug", para recolher essas opiniões. Também sugiro utilizar com o "Crashalytics" para rastrear os bugs e falhas do seu app.

 

3 - Invista em gráficos

 Screenshots e ícones são importantes. E eles importam tanto que o Google agora permite que você faça um teste A/B com diferentes conjuntos gráficos.

Segundo dados do relatório Digital, Social & Mobile in 2015, da agência de marketing digital We Are Social, as atividades mobile dos brasileiros se baseiam em apps de mídia social e vídeos, correspondendo a 23%, ou seja, pode ser interessante investir nesses recursos.

 

4 - Diversidade de telas

No mundo das multi-telas, até mesmo os apps precisam se encaixar em diferentes aparelhos. Lembre-se que o Google Play não fará o destaque do seu app a menos que ele atenda às telas maiores. Então, tenha certeza que seus aplicativos funcionam também em tablets.

 

5 - O lançamento e a estratégia

Quando finalmente lançar o aplicativo, não espere que as coisas aconteçam por conta própria. O aplicativo pode ficar meses no Google Play sem alcançar seu público. Você precisa de uma estratégia de divulgação - escolha os formadores de opinião certos para publicar sobre o app. 

Lembre-se que todos os dias milhares de aplicativos são lançados, então você precisa se destacar de alguma maneira criativa. Trabalhe bastante o ASO (App Store Optimization) e o SEO (Search Engine Optimization) - e acompanhe as estatísticas. Se ainda não sabe o que é um ou ambos os termos, mãos à obra nos estudos. 

Mais de 80% do seu tráfego virá da Google Play Store, o restante virá de buscas na Play Store e pesquisas do Google. Por isso a importância de investir na organização do app dentro da loja virtual.

 

6 - Concorrência

Por fim, o básico, acompanhe a sua concorrência. Você pode usar o "App Annie" ou o "SimilarWeb" para isso, eles oferecem bons insights, portanto analise-os e use-os a seu favor.

 

* Lonny Szneiberg é empreendedor com 16 anos de experiência no mercado de tecnologia online. Além de fundador do Oba - Compra e Venda de Veículos, também é fundador e diretor da Investing.com.