A morte do SMS foi anunciada ao mesmo tempo em que o Facebook comprava o WhatsApp por USD19 bilhões.

A morte do SMS foi anunciada ao mesmo tempo em que o Facebook comprava o WhatsApp por US$ 19 bilhões.

Notícia ruim vende. Mas é bom entender o que está por trás de tais afirmações bombásticas.

Dados do setor mostram que o SMS atingiu a maturidade. Antes o SMS era a única opção viável de mensagens instantâneas no celular. Agora os serviços de MIM – Mobile Instant Messaging – como WhatsApp, Line, KakaoTalk e WeChat ameaçam seu domínio.

No passado, o mercado de IM – Instant Messaging – foi disputado por ICQ, Yahoo Messenger, MSN Messenger, Skype e outros. Cada um liderou o mercado ao seu tempo, e foi substituído pelo próximo.

Matéria de 2002 da Forbes, intitulada “Mensagens instantâneas, Lucro lento”, descrevia a época: o maior objetivo das startups de IM era ser comprada por um grande player.

Os MIMs são redes fechadas. Eles não se intercomunicam. Você nunca enviará uma mensagem para o WhatsApp utilizando o WeChat. Se fosse possível, estaria tudo perdido para eles.

O valor de uma empresa de MIM está em sua audiência. Se a audiência migra, a atratividade do negócio some. Na competição entre redes fechadas, o sucesso é efêmero.

Olhemos para o mercado ao lado. O fenômeno das redes sociais começou com o MySpace. Depois veio o Orkut que atingiu milhões de usuários no Brasil e na Índia.

Twitter cresceu e encontrou um nicho em mídia. Linked In conquistou o público corporativo. Google Plus corre por fora. O atual líder Facebook vem perdendo audiência entre jovens e adultos. Amanhã serão outros.

Serviços fechados vêm e vão. Tecnologias abertas de comunicação que se tornam padrão tendem a amadurecer e estabelecer seu nicho.

SMS é um padrão. Não tem dono, é aberto e funciona em 100% dos celulares do mundo.

Veja a ligação telefônica. Criada em 1876, foi impulsionada pela ampliação da telefonia móvel. O crescimento do tráfego é estável. Mas a receita global vêm caindo pela redução do preço por minuto.

Veja o Fax. Criado em 1926, migrou para o meio digital e é usado por milhões de empresas para transmissão segura e autenticada de documentos. Estudo da Davidson Consulting diz que o mercado de Fax sobre IP deve crescer 10,2% ao ano até 2017.

Veja o Email. Criado em 1969, é usado em 68% dos Smartphones no mundo. Estudo da TechNavio indica que mercado deve crescer 7,5% ao ano até 2018.

E o SMS? Criado em 1992, é usado em 94% dos Smartphones. Segundo estudo da Portio, o tráfego mundial pessoa a pessoa estabilizará até 2017. Mas o preço unitário deve cair. Isso deve impactar a receita global do serviço mais lucrativo das operadoras.

O mercado corporativo é que garantirá a receita das operadoras no SMS.  

As empresas usam SMS para alertas de transação, tickets de vôo, lembretes de consulta e exame, avisos de fatura, confirmações de compra, autenticação de serviços, relacionamento com clientes, e outros. O volume crescerá mais de 10% ao ano pelas projeções do mercado.

O serviços MIM são fechados, logo não permitem uso corporativo. Por isso 70% das organizações consideram o SMS a tecnologia móvel número um. Outros 16% planejam adotar o SMS em 2014 segundo a Forrester Research.

O bom e velho SMS viverá. Bilhões de pessoas usam. É fácil, simples e funciona.  Qual a diferença? Não está mais sozinho. As operadoras agora têm competição e o preço vai cair.

*Cássio Bobsin Machado é CEO da Zenvia.