Baguete
InícioArtigos> Alinhando TI às estratégias corporativas

Tamanho da fonte:-A+A

ESTRATÉGIA

Alinhando TI às estratégias corporativas

Adilson Pize // sexta, 27/10/2017 07:45

A desconexão entre a área de TI e as demais áreas de negócio é uma queixa comum nas organizações.

Adilson Pize.

Muitos gestores dos níveis tático e estratégico dizem sentir um distanciamento entre a infraestrutura e soluções oferecidas pela área de TI de suas reais necessidades e/ou que o tempo de resposta é inadequado frente à dinâmica dos negócios.

Este hiato entre necessidades do negócio e TI acaba gerando constantes conflitos, disputas e frustrações de ambas as partes e, além disso, um impacto negativo nos resultados das organizações, que são cada vez mais digitais e têm a tecnologia da informação como um dos principais pilares de suporte aos seus negócios e, por conseguinte, em seus resultados.

O desafio é, então, superar as barreiras existentes que distanciam TI do restante da organização, e isto passa pelo alinhamento dos planos estratégico e tático de TI com o planejamento estratégico corporativo.

Tudo começa, ou deveria começar, pelo desenvolvimento do planejamento estratégico corporativo, um processo gerencial de grande importância e crítico para organizações de todos os portes e setores, uma vez que um bom planejamento impulsiona a empresa na direção correta, auxiliando-a a antecipar-se às ameaças, aproveitar oportunidades e realizar as mudanças/melhorias necessárias ao seu crescimento contínuo e sustentado.

Aqui está a primeira barreira a superar, pois ainda hoje existem organizações que não envolvem a área de TI ativamente no desenvolvimento do planejamento estratégico.

Isso impossibilita a adequada compreensão por parte da área de TI sobre os objetivos estratégicos e estratégias da organização, e quais os aspectos e/ou cenários foram considerados para chegar a eles, além de impedir que as perspectivas da área de TI sejam consideradas no processo de desenvolvimento do planejamento estratégico.

Vencer esta primeira barreira colabora com a superação da próxima, que é aproximar a linguagem de TI da linguagem de negócio.

Como fornecedora de serviços para a organização, a área de TI cumpre com operações/atividades meio, então a sua comunicação com as demais áreas de negócio deveria se dar não através da discussão das características técnicas das tecnologias ou soluções, mas sim pela apresentação dos benefícios proporcionados pela seleção e adoção de cada uma das opções, ou seja, a linguagem de negócio, com foco nos resultados que podem ser obtidos.

Mas somente falar a linguagem do negócio não é suficiente, pois assim como a organização define os caminhos que percorrerá para atingir os objetivos esperados, a área de TI também necessita definir seus objetivos e estratégias.

Isto se dá pelo desdobramento do planejamento estratégico corporativo através de dois planos que se complementam:

- PETI: Plano estratégico de TI; e

- PDTI: Plano diretor de TI.

O PETI define os objetivos e projetos estratégicos, alinhando estes objetivos aos de negócio, o que é feito alinhando os objetivos estratégicos do PETI com os objetivos estratégicos de negócio que se encontram no planejamento estratégico corporativo.

Isso se faz, na prática, através da definição de objetivos, indicadores, metas e ações de TI que colaboram com os objetivos, indicadores, metas e ações do planejamento estratégico corporativo.

O foco do alinhamento estratégico está em garantir a ligação entre o planejamento estratégico corporativo e a área de TI, definindo, mantendo e validando a proposta de valor de TI.

Por sua vez o PDTI é o instrumento no qual se estabelecem as diretrizes para a TI, os planos de execução dos projetos prioritários e a alocação de recursos.

Dentre alguns dos componentes que fazem parte do conteúdo do PDTI estão:

- Qualificações necessárias para os cargos de TI;

- Normas sobre arquitetura e segurança;

- Frameworks e/ou modelos para governança e gestão de projetos.

Tanto o PETI quanto o PDTI devem ser desenvolvidos para horizontes de tempo previamente definidos, normalmente curtos períodos, com a previsão de revisões frequentes devido à grande dinâmica das mudanças tecnológicas.

A revisão destes dois planos também pode ocorrer como resposta às possíveis mudanças no ambiente da organização e no planejamento estratégico corporativo.

A liderança de TI da organização, normalmente representada pelo CIO, tem um papel essencial na garantia da disseminação dos objetivos e estratégias corporativas, bem como das definições contidas no PETI e no PDTI, para todos os colaboradores que compõem a equipe da área de TI, buscando o engajamento destes para o atingimento dos resultados esperados.

* Adilson Pize é CEO da Excellence Consultants, consultor, escritor, palestrante e professor convidado em cursos de pós-graduação, MBA e Pós-MBA em diversas instituições de ensino em todo Brasil.