Software as a Service - Software como um serviço - (SaaS) que muitos já ouviram falar é de forma simples o  uso de um determinado software ou aplicação via Internet, livre de taxas ou pagando um pequeno valor pelo uso. Ou seja o “fornecedor” desenvolve, disponibiliza, armazena os dados e concede acesso a um determinado sistema via Web.

O cliente por sua vez apenas usa! Não se preocupa com armazenamento, licenças, servidores, atualizações (patches etc..), inventários, cópias piratas, mão-de-obra técnica... preocupa-se apenas em ter uma conexão Web e usar de qualquer lugar onde estiver e quando quiser.

Fantástico!!!!!!

Como sabemos nem tudo é sempre tão simples, logicamente há riscos:

1 - Queda da conexão e você ficar inoperante – solucionável pela contratação de uma nova conexão de backup, lembre-se os valores estão caindo e o Wi-Max já está rondando pelo ar.

2 – Segurança dos dados: existem softwares de criptografia tanto de transmissão como de armazenamento de dados que permitem minimizar este risco. Além do que, muitos fabricantes permitem backups de seus dados.

3 – Indisponibilidades por parte do fabricante, este é o item mais crítico, mas se você for usar um sistema de missão crítica – contratos de SLA - alta disponibilidade são oferecidos.

Nas últimas semanas as revistas e e-mails especializados bombardearam minha caixa de entrada com esta tecnologia, o que me fez refletir o seu impacto nos negócios, que afinal é o que nos interessa.

Isto significa economia, viabilização de negócios, redução drástica de custos, simplificação e padronização de processos, principalmente para pequenas e médias empresas que necessitam destes recursos financeiros para outros fins mais nobres. Logicamente poderíamos optar pelo software livre, porém mesmo assim continuaríamos com os custos de servidores e da mão-de-obra que neste caso em especial deve ficar de vigia “diuturna” mantendo os sistemas funcionando.

A simplificação ultrapassa os escritórios e chega até as nossas casas, existem softwares (SaaS) de todo o tipo :

Folha de pagamento e controle jurídico – debit.com.br
Pacote Office – Google Apps, ThinkFree
CRM  - Salesforce.com
ERP – corporator.com.br (modalidade ASP)
Administração de Condomínios – brcomdominio.com.br

Enfim, com um pouco de paciência e baixo dispêndio pode-se achar algo que atende de forma satisfatória a necessidade sem muito esforço e a custos bastante acessíveis, e ainda com a vantagem de que a maioria oferece generosos “test-drives”.
 
No mundo corporativo, onde imperam os grandes aplicativos de ERP (CRM, SCM etc..) verifica-se um acanhado movimento na mesma direção, especialmente no exterior onde o modelo por comercialização de licenças começa a demonstrar sinais de “fadiga”. Porém é previsível que em futuro não tão distante, novos modelos como o SaaS ou um mix deste deverá estar disponível às corporações, com segurança, facilidade de uso e a custos aprazíveis.
 
Dentre as várias modificações da vida moderna, o SaaS assim como o “Pay-Per-Use” na TV a cabo, tende a tornar-se uma realidade mais próxima ou não, de acordo com a queda das barreiras culturais e de negócio. Pode-se até prever aqui um plágio do que aconteceu na indústria fonográfica, que após uma década rende-se hoje à nova mídia – a comercialização via internet não só de músicas, mas também de vídeos (ainda recente, mas em andamento).

* Biagio Caetano é administrador e professor