Deu probleminha ali. Foto: reprodução.

Tamanho da fonte: -A+A

Na noite desta quinta-feira (horário de Brasília), o site norte-americano da Amazon parou por 49 minutos, em uma queda que paralisou temporariamente o maior site de e-commerce do planeta e levantou dúvidas sobre a sua segurança.

Segundo notícia do Financial Times, a Amazon confirmou que sua página de entrada (gateway page) ficou offline por boa parte do dia. O fato rapidamente gerou especulações sobre um possível ataque de hackers, mas fontes ligadas à gigante garantiram que a queda não teve razões externas.

A Amazon não deu detalhes sobre problemas desta natureza já tenham acontecido anteriormente, mas analistas reconheceram o peso da queda no cenário do e-commerce.

"É algo grande", disparou Michael Paulson, um ex-funcionário da Amazon que agora é consultou do buscador de preços Decide.com.

“Isso é como se uma loja física simplesmente fechasse suas portas durante o dia e mandasse seus clientes embora sem dizer a eles quando podem voltar", observa.

O jornal inglês fez uma conta simples para ilustrar em valores o peso da queda da Amazon.

Levando em consideração o faturamento de US$ 13,2 bilhões da empresa no primeiro trimestre de 2012, a empresa deixou de faturar US$ 5 milhões nos 49 minutos da queda.

"Entretanto, é provável que muitos comprados que não conseguiram acessar o site retornaram mais tarde para fazer suas compras em vez de fazê-las em outra loja", reconheceu o Financial Times.

Segundo Paulson, a Amazon conta com um alto índice de fidelidade, devido aos milhares de clientes associados a programas de fidelização e vantagens, como o Amazon Prime.

Devido ao problema, as ações da loja virtual tiveram leve queda no dia, com papéis fechando a US$ 265,50, uma perda de 2,7%

A Amazon destacou em nota que outras partes do site a não ser a página principal, estavam disponíveis durante a queda, assim como os serviços da Amazon Web Services, que por sua vez, registrou quedas em outras ocasiões, com em junho do ano passado.