Jorge Steffens, ex-Datasul e um dos sócios do DLM Brasil IT. Foto: divulgação.

O DLM Brasil IT, fundo de private equity gerido pelos ex-Datasul Paulo Caputo e Jorge Steffens, acaba de investir R$ 10 milhões na OpenTech, joinvilense de SaaS para gestão logística em transporte e gerenciamento de risco.

O CEO da Opentech, Alfredo Zattar, explica que o aporte pode chegar a R$ 18 milhões caso a companhia realize aquisições nos próximos meses, o que deve ocorrer: “o investimento feito pela gestora ajudará na realização da expansão por aquisição muito além do crescimento orgânico que experimentamos nos últimos anos”, afirma ele.

O DLM Brasil TI pertence à DLM Invista, empresa especializada em fundos multimercados, de ações e de participações que está no mercado há mais de 10 anos e tem sob sua gestão patrimônio acima de R$ 500 milhões.

Para o fundo de private equity focado em TI, a primeira fase de captação de recursos foi concluída em novembro passado, somando de R$ 180 milhões, captados principalmente junto a fundos de pensão brasileiros.

Até o fim de 2013, a meta é fechar com R$ 250 milhões aportados, explica Steffens.

O sócio da DLM esclarece que a mira está em empresas de software ou serviços baseados em software com faturamento entre R$ 15 milhões e R$ 150 milhões anuais e crescimento com margem Ebtida de, aproximadamente, 20%.

“O mercado de TI está cheio de boas oportunidades, principalmente quando a tecnologia é a base do negócio, como é o caso da Opentech, que se encaixa perfeitamente na nossa tese de investimento”, declara Steffens.   

O investimento é mais um tiro dos ex-Datasul no alvo da gestão e monitoramento de frotas.

Em 2010, Jorge Steffens e Paulo Caputo, junto com o também ex-executivo da Datasul Giovani Amaral, adquiriram da Totvs, por R$ 400 mil, o software de gestão de frotas Sofit 4Transport.

O software era desenvolvido pela Datasul e foi comprado pela Totvs junto com a empresa, lá em 2007.

Com isso, nasceu a Sofit, que em seu lançamento anunciou a meta de faturar R$ 11 milhões em cinco anos, tendo fechado o primeiro ano de atuação com mais de 100 novos clientes.

Pois bem, agora via braço de private equity, Steffens e Caputo voltam à carga, mas o investimento na Opentech tem ainda mais uma ligação entre o mundo Totvs-Datasul-gestão de frota.

Há cerca de seis meses a companhia de Joinville firmou com a Totvs um contrato de integração do SIL (Sistema Integrado de Gestão), da catarinense, ao portfólio de soluções para gerenciamento de transportes da companhia paulista.

A integração resultou no software Totvs Rastreamento de Frotas powered by OpenTech, com o qual a meta é alcançar de 70 a 100 contratos dentro da base de clientes da Totvs do setor de transportadoras e embarcadores no primeiro ano da parceria.

De acordo com o diretor superintendente de Segmentos da Totvs, Gilsinei Hansen, a solução não concorre com a Sofit porque, enquanto esta tem soluções pontuais voltadas para manutenção de frotas, a ferramenta integrada com a Opentech entrega recursos que passam por gestão de transporte, definição de rotas, romaneio, coleta e entrega de cargas, controle de emissão de conhecimentos de transporte, WMS, manutenção, chegando até as atividades de backoffice.

Para a Opentech, um belo acordo, já que só para as soluções TMS (Transport Management System) a base de distribuidores da Totvs traz mais de 650 transportadoras e mais de 12 mil embarcadoras.

Conforme Zattar, as parcerias e investimentos dos últimos meses incrementam a estratégia da empresa catarinense, fundada em 2001, de liderar o mercado nacional de soluções de gerenciamento de riscos em 2013.

Além da sede em Joinville, a companhia tem escritório em São Paulo e conta com mais de 800 clientes em todo o país, para os quais rastreia uma média de mais de 100 mil viagens por mês no Brasil e Mercosul.

A solução da empresa também soma em torno de 21 mil motoristas e veículos cadastrados por mês e de 12 mil veículos monitorados por dia.