Paulo Magnus, presidente da MV. Foto: divulgação.

A Santa Casa de São Paulo vai unificar e integrar os processos administrativos, financeiros, clínicos e assistenciais de suas 39 unidades com o Soul MV, sistema de gestão específico para saúde da MV, empresa com matriz em Porto Alegre e sede em Recife.

Iniciado em março, o trabalho, de investimento não divulgado, é definido pelo hospital como o maior projeto de modernização tecnológica da saúde na América Latina.

Conforme Antonio Carlos Forte, superintendente da Irmandade Santa Casa de São Paulo, a instituição começou a ter dificuldades na gestão de informações quando, nos últimos anos, ampliou a atuação para além da gestão de unidades próprias de perfil privado e filantrópico, passando a gerir também operações estaduais e municipais, através de contratos como Organização Social de Saúde.

Antes, o conglomerado utilizara um ERP próprio e outros sistemas pontuais em algumas unidades, mas a estrutura atual, que soma hospitais, políclinas, pronto-atendimentos, pronto-socorros, ambulatórios e unidades básicas de saúde espalhados pela capital paulista e Guarulhos, demandou modernizar a TI.

Escolhido para a modernização, o Soul MV será adotado gradativamente nas 39 operações, e, ao final, será utilizado por mais de 18 mil profissionais.

“Todos serão capacitados para uso do sistema, de acordo com seu perfil de trabalho”, explica Forte. “Queremos garantir o uso pleno dos recursos do sistema, que vão desde o agendamento de consulta até o prontuário eletrônico e soluções de BI e BSC”, completa.

A Santa Casa de São Paulo tem aproximadamente dois mil leitos e em 2012 realizou mais de 1.5 milhão de atendimentos ambulatoriais e 47,2 mil cirurgias.

Fornecedora do sistema para o complexo, a MV tem, além da matriz e sede, fábricas de software em Passo Fundo e na capital pernambucana, além de dez filiais pelo país.

A empresa atende a mais de 800 clientes nos setores público e privado do Brasil e exterior e projetava encerrar 2012 com faturamento na casa dos R$ 125 milhões. O número oficial ainda não foi divulgado.

Conforme o presidente da companhia, Paulo Magnus, traduzido em usuários o universo de clientes da empresa ultrapassa os 250 mil profissionais.

A MV tem investido no crescimento inorgânico.

Em 2012, comprou as empresas Microdata, Centercall e Micropacs, que compõem o Grupo Microdata, focado em software de gestão de imagens médicas, além do porto-alegrense Grupo Hospidata, composto por HDS Assessoria e Serviços, HD Processamento e Hospidata.

 “Nosso objetivo é prover sistemas de gestão para todos os nichos da área de saúde”, afirma o presidente da MV, Paulo Magnus.