Jorge Nitzan, presidente da Aceco TI. Foto: Divulgação.

A Aceco TI assumiu as operações da Innovative Engenharia a partir de uma negociação fechada na última semana. O valor do negócio não foi revelado.

Os serviços da Aceco incluem planejamento, construção e gerenciamento de centro de dados. A companhia vem buscando expandir suas operações por crescimento próprio e também por aquisições. Em 12 meses, foram três operações.

A empresa adquirida é especializada em testes que garantem a qualidade de um centro de dados antes dele ser entregue ao cliente, o chamado comissionamento. 

"Um centro de dados não é como um estádio que você pode arrumar uma coisa ou outra para o próximo jogo. Tudo tem que estar pronto de cara", disse Jorge Nitzan, presidente da Aceco, ao Valor

A negociação com a Innovative já estava em curso quando a Aceco fechou a venda de seu controle para o fundo americano KKR, em abril. Com o novo ativo, a Aceco eleva de 6 para 22 o número de funcionários que atuam com comissionamento. 

Eduardo Marini, diretor financeiro da Aceco, afirma que o reforço é importante para atender a demanda dos próximos anos. 

"Hoje apenas os grandes centros de dados passam por esse processo. Mas com o amadurecimento do mercado os pequenos e médios também passarão a receber esse tipo de investimento", disse.

Em abril, a Aceco desistiu do processo de oferta pública de ações (IPO) na BM&FBovespa e vendeu seu controle acionário para o fundo KKR. 

O valor não foi revelado, mas a estimativa é que a companhia tenha sido avaliada em R$ 1,5 bilhão. De acordo com Nitzan, além do IPO, a companhia também buscou fundos interessados em fazer investimento na companhia, assumindo os 48% do General Atlantic e também de outros acionistas da companhia. 

Com o cenário do mercado de capitais não tão favorável, a proposta do KKR foi vista como a mais interessante para os acionistas. 

"Não tínhamos pressa, necessidade de levantar capital. As operações são financiadas com geração própria. Mas o IPO não está descartado quando o mercado melhorar", relatou Nitzan.

Segundo o executivo, a estimativa é que o mercado de centros de dados tenha um crescimento de 16% ao ano na América Latina pelos próximos anos, o que cria um cenário promissor para a Aceco. 

Como uma equipe de mais de 1,2 mil pessoas, a companhia teve uma receita de R$ 566,3 milhões em 2013, uma alta de 63% em relação a 2012. Para este ano, a meta é manter um ritmo de crescimento acelerado, atingindo R$ 950 milhões.

Além do Brasil, o avanço nos negócios virá da expansão internacional. Até o fim do ano, a estimativa é que essas receitas cheguem a 40% do todo, o dobro do atual. 

Há alguns meses, a Aceco comprou a espanhola Quark, especializada no desenho de centros de dados. Este mês, a companhia vai abrir um escritório no México, com 30 pessoas.

A princípio, a ideia era chegar ao país por meio de uma aquisição, mas os planos mudaram. 

"Não há nenhuma empresa com o perfil da Aceco por lá. Por isso preferimos iniciar a operação do zero, para apresentar a abordagem ao mercado", disse Nitzan.