Estamos de olho. Foto: flickr.com/photos/cottonijoe

Torcedores de todos os times agora têm uma nova forma de brandar sua indignação com as injustiças do futebol.

O site Garfeada mostra, através de vídeos e ficha técnica, lances para que os visitantes votem se o árbitro errou ou não.

No ar desde o último domingo, 29, o endereço conta com uma média de 1000 visualizações por dia e 350 votos diários.

A ideia da criação surgiu quando o colorado Eduardo Mello, diretor de desenvolvimento na agência porto-alegrense Bonaparte, presenciou um “pênalti inexplicável”.

“Senti falta de um lugar para expressar minha indignação com o lance enquanto torcedor”, conta.

A partir daí, Mello apresentou a ideia para seus colegas de trabalho para aperfeiçoá-la colocá-la em prática.

Por enquanto, o projeto não gera ganhos para seus idealizadores. “A intenção inicial é criar um ambiente onde os torcedores possam se divertir. Mas estamos atentos para qualquer oportunidade que apareça no futuro”, diz.

O funcionamento do “SAC para torcedores” é simples: qualquer usuário pode enviar um lance polêmico ou de erro claro da arbitragem.

A “garfeada” passa por uma moderação apenas para verificar se ela já não consta na base. Quando o post está no ar, é possível opinar e votar se foi erro ou não.

Para gerar mais interação, o publicitário quer integrar o Garfeada ativamente ao Facebook.

O objetivo também é construir um ranking apontando quem são as torcidas que mais reclamam, os juízes que mais erram e os times que realmente são prejudicados. “Na opinião dos torcedores, é claro”, ressalta.

A perspectiva do publicitário para o futuro do site é que ele vire uma referência para lances polêmicos do futebol.

POLÊMICAS
Com 12 posts enviados, o site iniciou com um dos lances mais questionáveis da arbitragem brasileira, quando em 2005 o juiz Márcio Rezende de Freitas não marcou penalidade de Fábio Costa, então goleiro do Corinthians, em Tinga, ex-jogador do Internacional.

O lance mais votado é o recente jogo Coritiba x Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro. O árbitro apitou o final da partida em um momento de chance de gol para o time paranaense.

Na liderança da lista "Juiz bom de garfo" aparece o gaúcho Márcio Chagas da Silva.