Reunião em São Leopoldo com o PGQP. Foto: divulgação.

São Leopoldo pretende investir pesado para modernizar a administração municipal. Para isso, a prefeitura local anunciou um projeto junto ao Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP), apresentado nesta terça-feira, 1º, a empresários da região.

O projeto chega para representar de fato uma mudança de perfil na gestão município, que trocou sua administração em janeiro, com a entrada do tucano Anibal Moacir após oito anos de gestão petista de Ary Vanazzi.

Segundo dados da prefeitura, isto pode desencadear um resultado de R$ 10,3 milhões no primeiro ano de implantação, considerando-se redução de custos (R$ 3,1 milhões) e aumento de receitas (R$ 7,2 milhões).

Em fevereiro, a prefeitura contratou a Falconi Consultores, do guru da administração Vicente Falconi, para identificar gargalos nos processos locais, e a partir de agora até meados de 2014 o plano é desenvolver estratégias para colocar o plano em ação.

"Primeiro queremos fazer um mapeamento completo dos processos e, principalmente, mobilizar o quadro de funcionários para colaborarem nesta adoção das melhores práticas", explicou Felipe Nardi, coordenador executivo na Prefeitura.

Para o coordenador, a parte de TI também desempenhará um papel importante nesta economia de recursos. De acordo com Nardi, os processos na parte de tecnologia podem ser enxugados.

"Vamos abrir toda a matriz de custos da TI. Falo em reduzir o desperdício de recursos em demandas desnecessárias. Já contamos com um ERP, por exemplo, mas vamos rever nossa estrutura tecnológica, redesenhando processos, ganhando tempo e melhorando o serviço", explica.

Nestes novos processos estão soluções de workflow, soluções de mobilidade, automação de processos e a adoção de novas ferramentas, caso necessário.

"No entanto, a primeira mudança está no modelo de gestão, e a tecnologia vem em seguida. Caso contrário, só estaríamos automatizando um modelo ineficiente", dispara.

Embora ocupe um cargo no gabinete, Nardi conhece o mercado de TI. Ele foi um dos fundadores da leopoldense Menthor, empresa que desenvolveu uma metodologia para empresas selecionarem, implantarem e melhorarem seus sistemas de gestão.

Para tocar o plano adiante, agora o desafio da prefeitura de São Leopoldo é convidar o setor privado para embarcar nesta renovação na gestão municipal. Na reunião de apresentação, compareceram executivos de companhias como Taurus, Klabin, SAP, Stihl, além da Unisinos e ACIS-SL.

Também participaram da reunião a Hyundai, seu presidente Victor Park, e a HT Micron, fabricante de semicondutores que prometeu investimentos de R$ 200 milhões em São Leopoldo.