Jack Dorsey. Foto: divulgação.

Depois de quatro meses ocupando interinamente o cargo de CEO do Twitter, Jack Dorsey deve ser anunciado como o líder efetivo da empresa de microblog.

Um dos co-fundadores da companhia em 2008, Jack Dorsey retornou à liderança da empresa em junho depois de passar os últimos anos se dedicando à função de CEO do Square, startup de soluções em pagamento móvel que fundou em 2010.

Conforme reporta o Business Insider, o conselho administrativo da companhia, que conta com o ex-CEO Dick Costolo, deverá anunciar a efetivação de Dorsey até o final desta semana.

De acordo com fontes ligadas à micro rede social, Dorsey acumulará a liderança das duas companhias (Twitter e Square). A decisão vem em um momento decisivo para ambas as companhias, principalmente para a Square, um negócio avaliado em US$ 6 bilhões que está às vésperas de um IPO.

A indicação de Dorsey ao cargo maior no Twitter coloca fim à uma procura de mais de três meses por um executivo para o lugar de Costolo. Desde a saída do executivo, as ações da companhia sofreram uma queda de aproximadamente 30%, algo perigoso para uma empresa que enfrenta uma estagnação na sua base de usuários e geração de renda.

Por outro lado, a permanência de Dorsey, visto por muitos como um executivo inovador, pode animar os acionistas para uma possível revitalização do Twitter. Nas últimas 24 horas, as ações da companhia subiram 2,7%, com papéis a US$ 26,29.

Inicialmente, o conselho do Twitter evitou a possibilidade de efetivar Dorsey em seu cargo maior, já que preferia um executivo com dedicação full-time para a tarefa.

Fontes revelaram que Dorsey foi aconselhado a deixar o cargo de CEO da Square para se dedicar à nova liderança, mas diante da negativa de Dorsey em sair da empresa de pagamentos, o board da rede social se viu obrigado a ceder.

Caso a efetivação de Dorsey se confirme, o executivo entra em um seleto clube de executivos que lideraram duas grandes empresas ao mesmo tempo. Alguns exemplos vem de Steve Jobs que presidiu a Apple e Pixar simultaneamento no final dos anos 90 e Elon Musk, que hoje é CEO da Tesla Motors e SpaceX.