A Nestlé está presente no Brasil desde 1921. Foto: divulgação.

A Nestlé, maior empresa de bebidas e alimentos do mundo, está utilizando um jogo desenvolvido pela startup Pushstart, de São Paulo, para selecionar talentos. A aposta na gamificação é para o processo seletivo de trainees de 2020.  

A Pushstart, que tem no portfólio clientes como Itaú, Rede Globo e Lojas Americanas, cria e desenvolve projetos como aplicativos, jogos de realidade virtual e terminais interativos. 

Fundada em 2014, a startup tem como sócios Vinicius Oppido, Wagner Nitsch e Felipe Marlon, todos com anos de carreira na área de TI da Rede Globo. 

A agência já fez diversos outros trabalhos para a Nestlé, como a Legião dos Superpoderes, projeto que faz parte de uma iniciativa global da multinacional suíça. No programa de trainee de 2018 da empresa, criou um aplicativo exclusivo para a etapa de pré-seleção do processo.

O novo jogo, para o programa de 2020, faz parte da etapa final do processo seletivo e será baseado nas decisões tomadas nas outras fases. A partir delas, cria-se um ambiente simulado e personalizado.

O participante vai, então, se deparar com desafios comportamentais e de negócios, onde cada decisão causa uma reação direta na dinâmica do jogo, fazendo uma simulação do mundo real.

"Cada vez mais estão surgindo novas formas de avaliar um profissional, que vão além de perguntas técnicas, e o uso desses métodos inovadores é uma tendência", comenta Priscylla Haddad, gerente de Treinamento, Seleção e Desenvolvimento de Talentos da Nestlé Brasil.

A Nestlé instalou sua primeira fábrica no Brasil em 1921, na cidade paulista de Araras e hoje possui unidades em oito estados. Contando com 32 mil colaboradores diretos no país, está presente em 99% dos lares brasileiros, segundo pesquisa realizada pela Kantar Worldpanel.