André Wetter, cofundador e CEO da a55. Foto: divulgação.

A a55, fintech brasileira que oferece crédito a pequenas e médias empresas usando as receitas como garantia, recebeu um aporte de US$ 2 milhões (cerca de R$ 11 milhões) da E3 Negócios, através de seu fundo de investimentos ZFM. 

Fundada em 2018 por André Wetter e Hugo Mathecowitsch, a a55 usa uma plataforma que conecta contas bancárias, soluções de custódia, faturamento, meios de pagamento e inteligência de crédito. 

Em troca, as empresas que dão acesso às suas informações têm direito a serviços gratuitos, como conciliação bancária e insights sobre suas operações a partir de análises estruturadas pelos algoritmos da startup.

De acordo com o site NeoFeed, esse big data, que fornece uma visão detalhada das empresas, é também o centro das análises feitas pela a55 para a concessão de crédito.

Os empréstimos variam de R$ 20 mil a R$ 5 milhões e os prazos vão de 12 a 24 meses, com uma taxa média de 1,8% ao mês. Para financiar esses créditos, a a55 tem operações de securitização, como emissões de debêntures, e um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC).

Com esse modelo, a fintech já realizou mais de 350 operações de crédito a 50 empresas e somou mais de R$ 100 milhões. A companhia espera duplicar essas cifras nos próximos 12 meses.

Sua carteira de clientes ativos inclui 100 empresas, entre elas companhias como Exact Sales, Omie e InsiderStore. Muitas delas já fizeram até 16 linhas de crédito com a empresa.

Essa é a terceira rodada da a55, sendo a segunda somente em 2020. Anteriormente, a empresa já havia levantado US$ 3 milhões em capital de pequenos investidores brasileiros e internacionais e, em maio deste ano, recebeu US$ 5 milhões do braço de venture capital do Santander, que agora se chama Mouro Capital.

“A Mouro e a E3 estão nos ajudando a entender o que fazer para escalar a operação”, contou André Wetter, cofundador e CEO da a55, ao NeoFeed.

Com o novo aporte, a startup deve acelerar as estratégias que já vinha implementando a partir do investimento captado em maio.

Uma delas é a ampliação dos times de data science e de vendas e marketing. Em quatro meses, a empresa saiu de 40 para 60 funcionários. A projeção é chegar a 100 em 2021.

Além disso, a fintech lançou uma linha voltada a e-commerces, para financiar campanhas de marketing digital. Nesse caso, a base para a análise de crédito é o desempenho das estratégias das empresas em plataformas como Google, Facebook e Instagram.

Outro foco é escalar a operação da empresa no México. A a55 chegou ao país em 2019 e agora planeja ampliar o time local. Até o momento, a fintech já realizou cinco operações naquele mercado, totalizando US$ 5 milhões em concessões de crédito.

Até 2022, a companhia tem a meta de superar R$ 1 bilhão de crédito no Brasil e US$ 100 milhões no México. Depois disso, não descarta entrar em outros países da América Latina no médio prazo. 

O objetivo é se tornar a principal plataforma de financiamento de empresas de serviços de tecnologia da América Latina, começando pelas companhias que oferecem Software as a Service (SaaS).

Fundada em 2015, a E3 Negócios tem sede em Curitiba e seu foco são empresas em operação ou em fase pré-operacional nos segmentos agrícola, saúde, cibersegurança, finanças, logística, cidades inteligentes, internet das coisas, comércio eletrônico, educação, bem-estar, e tecnologia corporativa.