A Ilha Pura tem 870 mil m², dos quais 247 mil estão reservados para a construção da Vila dos Atletas. Foto: Divulgação.

Com prazo de entrega estabelecido para 2016, o bairro planejado Ilha Pura, que vai alojar os atletas durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, usa o ViaWMS, da Vialink, durante a construção. A tecnologia é capaz de calcular o andamento de construções e estimar com exatidão seu prazo de entrega.

A construção é executada pelo consórcio Ilha Pura, formado pelas incorporadoras e construtoras Carvalho Hosken e Odebrecht Realizações Imobiliárias. 

“Falta informação para auxiliar as tomadas de decisão do dia a dia, o que inviabiliza a gestão da obra. Percebemos que há escassez de dados sobre a condição do estoque e, por isso, pensamos em uma solução que evita prejuízos como a compra excessiva de alguns materiais e a falta de outros”, aponta Claudio Sá de Abreu é sócio-diretor da Vialink

O ViaWMS calcula o andamento de construções por meio do total controle de entrada, utilização real e saída de equipamentos e materiais de um canteiro de obras. 

A inovação também organiza o armazenamento e a distribuição dos materiais e equipamentos, que permitem, portanto controlar o fluxo e a entrega de componentes nas diversas etapas da construção. 

O controle é feito através da identificação por etiquetas com QR Code fixadas em todos os materiais, ferramentas e equipamentos que entram na obra. 

Durante o período de operação, com a ajuda de câmeras de iPods, o controle é feito pelo escaneamento das etiquetas de tudo o que é utilizado, gerando dados que são organizados e controlados automaticamente pelo sistema. 

Para Elias Brito, responsável logístico do Condomínio 1 do Ilha Pura, explica que um importante benefício obtido foi a confiança nas informações contabilizadas digitalmente. 

Através do sistema, Brito pode operar, com o auxílio de gráficos e diagnósticos digitais, a entrada e a saída de materiais, bem como controlar os estoques e o entulho produzido.  

Claudio Sá de Abreu ressalta que o sistema permite a verificação de perdas ou desperdício de material. 

“Se o volume de descarte está passando da média normal, é possível verificar o motivo e corrigi-lo imediatamente, tornando a rotina de trabalho mais previsível e reduzindo custos”, explica.

Essa medida permitiu que o Condomínio 1 reduzisse os eventuais impactos no meio ambiente. 

Como o ViaWMS indica qual o volume de entulho que chega às caçamba, é possível saber, por exemplo, quanto dos resíduos podem ser reutilizados no próprio canteiro.

“Em junho, batemos nosso próprio recorde: 96% de reciclagem”, comemora Marcos Vinicius, coordenador de sustentabilidade do Ilha Pura.

Para auxiliar no trabalho de fiscalização, o sistema é instalado localmente. Caso haja algum problema que tire o sistema do ar, a fabricante garante o acesso às informações por meio do registro de dados em nuvem.

A vila dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos terá 3.604 apartamentos a serem utilizados por mais de 18 mil atletas. São 31 prédios de 17 pavimentos distribuídos por 7 condomínios independentes com apartamentos de 2, 3 e 4 quartos.

A Ilha Pura tem 870 mil m², dos quais 247 mil estão reservados para a construção da Vila dos Atletas. Os apartamentos serão vendidos e entregues aos clientes finais em até um ano depois das competições.