Entidade catarinense comemora crescimento. Foto: divulgação.

A Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate) divulgou índices apontando um crescimento acima da média de algumas verticais dentro do segmento de TI catarinense. 

Um levantamento promovido pela entidade junto a 67 empresas verticalizadas indicou crescimento de 37,8% no faturamento, contabilizando R$ 472,6 milhões em 2012 e R$ 651,2 milhões no ano seguinte. 

O modelo de Verticais de Negócios da Acate nasceu no final de 2009 e atualmente conta com 12 verticais, nas áreas de Sustentabilidade, Energia, Cloud Computing, Educação, Games, Governo, Manufatura, Saúde, Segurança, Telecom, Agronegócio e Têxtil. Juntas, contabilizam 123 empresas participantes. 

Segundo o vice-presidente da Associação, Everton Gubert, o indicador é positivo, sobretudo diante do cenário nacional, no qual o crescimento médio das empresas de TI ficou em torno de 10% e 15% e ainda mais se comparado à indústria, que cresce a uma média de 1 a 2% ao ano. 

“A aproximação e a troca de conhecimento e experiências que o modelo de verticais proporciona podem ser considerados verdadeiros diferenciais competitivos, por isso adotamos este modelo para promover o associativismo no segmento”, destaca.

O volume de recursos públicos captados como fomento para PD&I também cresceu, porém o número ainda é muito pequeno, e representa um dos gargalos do setor: a carência por mais recursos que estimulem o investimento em inovação nas diferentes fases da vida da empresa. 

Por outro lado, o levantamento mostrou expansão significativa nos investimentos privados realizados em PD&I, chegando a R$ 36,6 milhões em 2013, o que representa 78% dos investimentos das empresas em PD&I - um increscimento de 47,5% em relação ao ano anterior. 

A parte de exportação não alteração no faturamento, subindo timidamente de R$ 26,6 milhões em 2012 para R$ 26,7 milhões em 2013. Segundo Gubert, o resultado ilustra uma perda de competitividade externa do país, já que no âmbito interno o crescimento no mesmo período foi considerado satisfatório. 

Entre 2012 e 2013, as empresas verticalizadas da ACATE também constaram crescimento de 9,7% no número de colaboradores, passando de 3.623 colaboradores em 2012 para 3.973 neste último ano. 

Neste período, as organizações investiram R$ 183,7 milhões em seus colaboradores, o que significa também um ganho social.