TENDÊNCIA

Quem quer fazer apps está atrasado

01/12/2017 18:14

Blazoudakis, co-fundador da Movile, falou sobre a mudança na onda dos apps em palestra no Mesas TI.

Andreas Blazoudakis, co-fundador da Movile. Foto: Divulgação/Seprorgs.

Tamanho da fonte: -A+A

Apesar da dependência dos smartphones ser uma realidade, criar apps é coisa do passado. É isso que acredita Andreas Blazoudakis, co-fundador da Movile, focada em plataformas O2O (online to offline), que foi o palestrante do Mesas TI, do Seprorgs, desta sexta-feira, 01/12.

O portfólio da Movile é composto hoje por plataformas como iFood, PlayKids, MapLink, Rapiddo, Sympla, entre outras.

“Quem está pensando em criar um aplicativo está 10 anos atrasado. O usuário não aguenta mais ter que baixar um app para cada assunto. O futuro está na inserção de aplicativos dentro de ferramentas de chat”, relata Blazoudakis.

O modelo apontado pelo empreendedor como tendência é realidade na China, que tem no aplicativo WeChat a concentração de diversos serviços - como pedido de delivery ou transferência de dinheiro.

A ferramenta chinesa tem 980 milhões de usuários ativos mensais, com 38 bilhões de mensagens enviadas diariamente. 

“A partir de algumas pesquisas constatei que em 6 anos, a Apple Store e a Google Play publicaram mais de 5 milhões de apps em suas lojas. Somente em 3 anos, o WeChat distribuiu mais de 10 milhões de apps”, destaca o co-fundador da Movile.

O novo comportamento do consumidor apontado pelo executivo é respaldado por uma pesquisa recente da consultoria global Adeven.

De acordo com o estudo, no mercado norte-americano, o número de downloads de apps vem caindo 20% a cada ano desde 2015. Além disso, mais de 65% dos usuários de smartphones não fazem nenhum download de aplicativo por mês. 

E, mesmo quando baixam mais ferramentas, os usuários de smartphones gastam 80% do tempo usando apenas cinco apps.

Com as mudanças rápidas no cenário da tecnologia, hoje Blazoudakis tem a função de reinventar as ferramentas do portfólio da Movile.

“Faz quatro anos que meu trabalho é destruir tudo que a empresa constrói”, diverte-se.

Ao longo de sua carreira, Blazoudakis participou da fundação de 17 startups. Hoje, 3 das ainda ativas são avaliadas em mais de R$ 200 milhões: Movile, PlayKids e Delivery Center (a mais recente iniciativa do empreendedor).

Em junho, a Movile recebeu mais uma rodada de investimentos da Naspers, grupo global de internet e entretenimento, e do fundo de investimentos Innova Capital. O valor do aporte foi de US$ 30 milhões. 

Veja também

STARTUP
Movile investe R$ 15 milhões na Sympla

Ao todo, a Movile já investiu mais de R$ 28 milhões na Sympla.

FINTECH
Adianta recebe aporte de R$ 5 milhões

A Oster Tech se soma à Yellow Ventures como sócia da Adianta.

COMUNICAÇÃO
Ingresso Rápido usa WhatsApp empresarial

As compras efetuada pelos canais de venda da Ingresso Rápido são notificadas por WhatsApp.

RANKING
Conheça as melhores para trabalhar em TI

As campeãs foram Sydle (pequenas), SAP Labs Latin America (médias) e Dell EMC (grandes).

MESSENGER
ChatClub lança bot do Neymar

Os mais de 60 milhões de seguidores do jogador poderão utilizar recursos como chat em grupo e quiz.

BIG DATA
Accera adquire a Tradeforce

O sistema da Tradeforce atua com a gestão de equipes em campo para trademarketing.

RH
Gupy recebe aporte de R$ 1,5 milhão

O investimento veio dos fundos Canary e Yellow Ventures.