Foto: divulgação.

O café é a segunda bebida mais consumida no Brasil, perdendo apenas para a água. Se considerarmos a água como um líquido essencial para a vida e ficando fora da lista, o café se torna a bebida mais consumida no mundo, mais até que a cerveja e o refrigerante.

É uma bebida que pode ser consumida quente, gelada e em diversas receitas diferentes, como bolos, sorvetes e diversas outras opções.

E será que o café pode trazer benefícios para a saúde? Ou será que ele pode fazer mal? 

Qual será o país que mais consome café no mundo?

No texto de hoje, você vai saber um pouco mais a respeito desta bebida quase que obrigatória na mesa dos brasileiros, bares, restaurantes e, claro, os cafés.

 

Café: paixão nacional

O brasileiro consome, em média, cerca de 3 a 4 xícaras de café por dia, geralmente no café da manhã, depois do almoço, café da tarde e no jantar.

E o preferido no Brasil é o café torrado e moído, sendo o carro chefe da maioria dos consumidores. Logo atrás, estão o cappuccino, expresso e solúvel.

É uma bebida muito consumida para dar energia, abrir o apetite, para encontros e aperitivos, e mais disposição durante o dia. O cheiro do café quente é muito característico e é um grande convite para consumí-lo.

Uma pesquisa de 2019 encomendada pela Jacobs Douwe Egberts (JDE), detentora das marcas Pilão e L’OR, em parceria com a Aocubo Pesquisa, mostrou que 98% dos brasileiros consomem café.

Geralmente, entre os 18 e 35 anos, a pesquisa mostrou que o uso é moderado. Acima dos 40, é intenso, tomando mais de uma vez por dia, todos os dias.

A pesquisa também mostrou que o café tem uma importância social e cultural muito grande no país, já que é uma bebida obrigatória em reuniões, encontros sociais, visitas, etc.

O café hoje é tão importante e amado pelos brasileiros, que existem até eventos específicos para café, como o Festival São Paulo Coffee Fest, que conta com grãos de café do mundo todo, receitas exclusivas e um pouco da história da bebida.

 

O café no Brasil e no mundo

São Paulo ainda é a cidade brasileira que mais consome café, seguida pelo Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte.

No mundo, as cidades que mais consomem a bebida são Taipei a capital de Taiwan, Melbourne na Austrália, Havana em Cuba, Viena na Áustria e Seattle, nos Estados Unidos.

E mesmo sendo quase que uma unanimidade no Brasil, o país não está nem entre os 10 países que mais consomem café no mundo.

Segundo dados da Organização Internacional do Café, até o ano de 2017, os finlandeses ficaram em primeiro lugar no ranking dos países que mais consomem a bebida no mundo, com surpreendentes 12 quilos de café por pessoa no ano.

Logo abaixo, estão países como Noruega, Islândia e Dinamarca. Vale dizer que os nórdicos são os verdadeiros coffee lovers.

Quem achou que os americanos, os ingleses e os australianos ficariam entre os primeiros, graças a ampla divulgação do café em filmes e séries, se enganou, já que eles não aparecem nem entre os 20 primeiros.

Muito disso se dá, pois nestes locais, assim como a Turquia, o chá é bastante consumido.

 

Confira a lista dos 20 maiores consumidores de café do mundo, segundo dados da Forbers:

Finlândia – 12 kg por pessoa/ano

Noruega – 9,9 kg

Islândia – 9 kg

Dinamarca – 8,7 kg

Holanda – 8,4 kg

Suécia – 8,2 kg

Suíça – 7,9 kg

Bélgica – 6,8 kg

Luxemburgo – 6.8 kg

Canadá – 6,5 kg

Bósnia e Herzegovina – 6,2 kg

Áustria – 6,1 kg

Itália – 5,9 kg

Eslovênia – 5,8 kg

Brasil – 5,8 kg

Alemanha – 5,5 kg

Grécia – 5,5 kg

França – 5.4 kg

Croácia – 5,1 kg

Chipre – 4,9 kg

 

A produção de café no Brasil

O Brasil é o maior exportador de café do mundo, produzindo em torno de 50 milhões de sacas de 60 quilos todos os anos.

O Brasil conta com uma área de 2,3 milhões de hectares de produção de café, e um dos países que conta com a maior variedade de marcas de café em todo o mundo.

O segundo país que mais produz e exporta é o Vietnã, com 28 milhões de sacas em 650 mil hectares.

Em terceiro está a Colômbia, que também é um dos países referência na qualidade de café, com 14,5 milhões de sacas de café em 930 mil hectares.

Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a cafeicultura brasileira é uma das mais exigentes do mundo.

Isto para garantir a melhor produção de café, seguindo rígidas legislações trabalhistas e ambientais.

Estas leis são para respeitar a biodiversidade e todas as pessoas envolvidas na cafeicultura, evitando, inclusive, o trabalho escravo e infantil. Isto torna o Brasil com as leis mais rigorosas entre os países produtores de café.

 

Os maiores produtores do Brasil

Minas Gerais é conhecido como o estado do café brasileiro, não só pela qualidade e aroma, mas também por ser o maior produtor do Brasil. Cerca de 50% da produção está centralizada no estado de Minas.

As regiões produtoras são Sul de Minas, Cerrado de Minas, Chapada de Minas e Matas de Minas.

A ampla maioria das plantações são de café Arábica, que é uma espécie de café natural da Arábia ou da Etiópia, supostamente uma das primeiras espécies de café a ser cultivada.

Em segundo lugar, aparece Espírito Santo, principal produtor de café Conilon, que é a semente do cafeeiro da família das Rubiáceas, provenientes da África Ocidental e do Sudoeste da Ásia.

O estado capixaba é o responsável por abastecer o mercado brasileiro, e também exporta para todo o mundo, pelo porto Vitória.

São Paulo também entra no Top 3 dos principais produtores de café do Brasil. A produção está focada nas regiões de Mogiana e Centro-Oeste Paulista, em sua maioria, café Arábica.

Bahia também é um estado produtor de café Arábica, na região do Planalto da Bahia e do Cerrado da Bahia. O estado também conta com a produção do café Conilon.

Ainda entre os principais produtores do Brasil, está Rondônia, com aproximadamente 2 milhões de sacas anualmente, apenas de café Conilon, e o Paraná, com variedades adequadas ao clima mais frio do café Arábica.

 

Afinal, o café faz bem ou faz mal?

E uma dúvida que fica na cabeça de todos os amantes de café no mundo: afinal, o café faz bem ou mal à saúde? Nós sabemos que tudo que é consumido em excesso pode causar problemas para a saúde, portanto, vamos abordar agora os principais pontos de se tomar o café ocasionalmente, todos os dias e várias vezes por dia.

Segundo um estudo de uma pesquisadora da Harvard School of Public Health, em conjunto com o Beth Deaconess Medical Center, beber uma ou duas xícaras de café por dia pode proteger contra a insuficiência cardíaca.

E os benefícios do café vão ainda além: ele aumenta o foco, potencializa a memória e também auxilia na prevenção do diabetes, depressão, problemas cardíacos e retarda o envelhecimento.

Além disso, tomar pelo menos uma xícara de café pode ajudar a prevenir até contra o câncer de mama, da faringe e oral, próstata, fígado e esofágico.

Tudo isso graças às diversas proteínas e minerais descobertos, como potássio, zinco, ferro e magnésio. Além disso, o café também pode:

Ajudar na digestão: sabe por que a maioria dos restaurantes oferece uma xícara de café após o almoço e jantar? Porque ele é um ótimo estímulo para a digestão.

A bebida age estimulando os intestinos, o reflexo do estômago e do reto sigmoide, aumentando assim o movimento gastrointestinal.

Ajuda a reduzir o estresse: a principal responsável é a cafeína, que ajuda a melhorar o humor, o foco, melhora o raciocínio, memória e também os reflexos.

Aliado na perda de peso: Café emagrece? Sim, e mais uma vez, a cafeína é uma das responsáveis, já que ela é um ótimo estimulante para os exercícios, além de ajudar na liberação de ácidos graxos da gordura estocada no corpo.

 

E quando que o café faz mal?

O café também pode ser o vilão, em casos onde há o abuso. O recomendado para é de até 4 xícaras por dia. Agora, uma superdose pode ter efeito reverso de doses moderadas, e acabar causando irritabilidade, ansiedade e até tensão muscular.

E claro, de acordo com mais doses, mais cafeína no seu organismo, e isto pode causar insônia e também uma necessidade maior de ir ao banheiro, já que o café é diurético.

O café pode também ser um inimigo para o seu sono profundo. Uma noite de sono ideal é de, pelo menos, 8 horas. Pessoas que tomam muito café acabam perdendo o sono, e dormem poucas horas por noite. Isso pode afetar a saúde do coração.

A cafeína em excesso pode também ser prejudicial, causando problemas psicológicos como depressão e transtornos de atenção. Além disso, a substância pode causar a desidratação, problemas estomacais e indigestão.

Algo muito comum na correria do dia a dia é substituir uma das refeições pela velha xícara de café. Isso pode ser prejudicial até em questão do diabetes, já que, quanto mais café, mais açúcar. Consequentemente, mais glicose no seu sangue.

O café pode até te dar a sensação de saciedade, mas isso vai fazer com que seu corpo não receba as proteínas e vitaminas necessárias de um café da manhã balanceado, ou de um almoço completo e nutritivo.

Se você já está viciado pelo café, experimenta trocar uma das doses por dia por uma xícara de chá ou um copo de suco.

Então se você tomar o seu cafezinho diariamente, de forma correta, ele não vai trazer nenhum tipo de malefício para a sua saúde. A cafeína pode ser prejudicial em demasia, portanto não abuse.