Rodrigo Rosa. Foto: LinkedIn.

A Lume Tecnologia, parceira da IBM com sede em Pinhais, na Grande Curitiba, abriu uma unidade em Joinville, de onde pretende, ainda no primeiro semestre deste ano, ampliar para 19 os clientes da carteira no estado, onde já atende a nomes como Tigre, Tupy e Ciser.

Só em Joinville, a lista já inclui nomes como Dudalina e Hacco Etiquetas, ambas clientes de projetos IBM levados a cabo pela companhia paranaense.

A expansão no mercado catarinense se deve a um impulso que vem sendo obtido nos negócios desde 2011, quando a empresa registrou volume recorde de R$ 800 mil, com projeção de triplicar em 2012.

“Após a consolidação no mercado paranaense, é no crescimento do polo industrial de Santa Catarina que temos buscado nos posicionar”, afirma o gerente Comercial da Lume em Santa Catarina, Rodrigo Rosa.

Conforme o executivo, a prospecção na região promete: um estudo realizado pela Acate, por exemplo, mostrou que até 2015 mais de 12 mil pessoas irão trabalhar na área de TI do estado, grande parte focada em Joinville.
 
Para se fortalecer neste cenário, a Lume equipe técnica e comercial formada por dez funcionários na cidade, que têm apoio de mais de 80 colaboradores baseados em Pinhais.

“Houve crescimento tanto de receita, quanto de negócios fechados em Santa Catarina, além de um aumento no número de mercados identificados e tipos de soluções vendidas. Vemos a abertura dessa unidade como uma oportunidade para continuarmos crescendo”, ressalta Rosa.

A própria IBM vem ampliando a mira no norte catarinense. Em setembro do ano passado, a gigante investiu R$ 700 mil em um escritório em Joinville, do qual o diretor da multi para a Região Sul, Frank Koja, afirma que a meta é fomentar vendas para indústrias como têxtil, alimentícia, de fundição e mecânica, principais motores da economia local.

A abertura fez parte de uma estratégia de expansão regional que desde 2008 já levou a IBM a 38 cidades fora do eixo Rio-São Paulo.

“A crescente concentração de indústrias no interior catarinense demonstra um cenário econômico sólido, com desenvolvimento sustentável desde 2009. Buscamos reforçar nossa presença”, comenta Koja.

A estratégia de expansão regional tem também um cunho global, com foco em economias de rápido crescimento, como Brasil, Rússia, Índia e China, algumas regiões da Ásia, África e Oriente Médio, América Latina, Europa Central e Leste.

Segundo comunicado da IBM, estes países fazem parte de sua unidade de Growth Markets, que em 2011 representou 22% da renda total. A expectativa é que a fatia aumente para 30% até 2015.