Denis Tassitano.

Denis Tassitano, ex-líder regional de Business Development da SAP, acaba de assumir a vice-presidência da Concur, solução de gestão de viagens corporativas da multinacional alemã.

O executivo, na SAP desde 2017, assume no lugar de Valéria Soska, promovida para a liderança do produto na América Latina e Caribe em julho do ano passado.

Essa é a segunda passagem de Tassitano pela SAP, onde já havia atuado na área comercial entre 2005 e 2011. O profissional tem também passagens pela JExperts, Quanam e Totvs.

“Em meio à pandemia em que estamos vivendo, acredito que os desafios de gestão por parte das organizações são ainda maiores. Um deles, o da sustentabilidade em viagens corporativas, está e sempre esteve em nosso escopo de atuação”, afirma Tassiano.

Assim como os clientes, a Concur tem um grande desafio, que é vender um produto cuja principal finalidade é gerenciar viagens corporativas, em um momento em que elas quase deixaram de existir (e no qual muitos se questionam se elas vão algum dia voltar).

A SAP como um todo está atravessando um período ruim com o coronavírus: a receita em 2020 caiu 1%, para € 27,3 bilhões. Mas a situação é especialmente complicada para a Concur, onde a receita caiu 20% no mesmo período, para € 341 milhões.

Até então, a história da Concur no Brasil tinha sido de alta.

A SAP comprou a Concur em 2014, por US$ 8,3 bilhões. A operação brasileira abriu três anos depois, sob o comando de Soska, uma executiva da casa.

Antes, Soska era vice-presidente do programa de clientes estratégicos, em que era responsável por atender grandes organizações no país.

Muitas companhias desse perfil fizeram implementações de Concur desde então.

Em outubro de 2018, o número total chegava a 20, incluindo nomes como Taesa, Grupo Pão de Açúcar e CPFL Energia.

No começo, a só a SAP vendia e implementava o produto Concur, uma estratégia que mudou em 2020.

Em janeiro, a GA, multinacional argentina especializada em sistemas de gestão, passou a poder fazer implementações (mas não a vender licenças). 

Em abril, a BCI Consulting, consultoria SAP sediada em São Paulo, passou a fazer implementação e venda do software.

A companhia se tornou o que a SAP chama de “parceiro VAR”, com uma área de atuação que compreende o Brasil, Argentina e Uruguai.

Depois, entraram no time dos parceiros ainda a FH e a Seidor, outras duas grandes parceiras da SAP no país.