Projetos da Moss conservam a Amazônia. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Moss, companhia de comercialização de créditos de carbono, recebeu um aporte de US$ 10 milhões em uma rodada liderada pela SP Ventures e Acre Venture Partners.

A companhia atua intermediando a compra de créditos em projetos de manejo florestal e conservação ambiental na Amazônia para 200 clientes, incluindo grandes nomes brasileiros como GOL Linhas Aéreas, iFood e Arezzo, além de gestoras de investimento dos Estados Unidos, como SkyBridge e One River Asset Management.

Em 2020 recebeu, fintech já tinha recebido US$ 1,6 milhão em rodada liderada pela Pfeffer Capital e US$ 1,8 milhão da The Craftory.

“A demanda corporativa e da sociedade para compensação de emissões explodiu neste ano à medida que as mudanças climáticas se tornam cada vez mais claras em nossas rotinas”, afirma Luis Felipe Adaime, fundador e CEO da Moss.

O objetivo da startup é digitalizar e transformar o sistema global de serviços ambientais, por meio do uso de blockchain e serviços descentralizados. 

Em apenas um ano de operação no Brasil, mais de R$ 70 milhões foram transacionados com a compra dos créditos, que são gerados por meio de projetos certificados de manejo florestal sustentável, contribuindo para a conservação da Amazônia.