A Prefeitura de Joinville apresentou na segunda-feira, 29, o Projeto Join.Valle. Foto: Divulgação.

A Prefeitura de Joinville apresentou na segunda-feira, 29, o Projeto Join.Valle. Desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Joinville (Side), o programa propõe uma nova gestão do espaço urbano dentro do conceito de Cidades Inteligentes e Humanas (Human Smart Cities).

Segundo o prefeito Udo Döhler, a proposta visa a aumentar a competitividade econômica de Joinville. O Join.Valle quer estimular a diversificação da matriz produtiva e de serviços voltados à inovação e ao desenvolvimento tecnológico. 

“Temos que pensar em alternativas para atender as novas demandas e estar preparados para termos um diferencial de atrativo econômico e de desenvolvimento sustentável. Esse projeto insere Joinville num cenário de cidade inteligente e mais humanizada”, disse Döhler.

Assim, o foco é deixar de atender apenas a indústria tradicional de setores como metalmecânico, têxtil, plástico e parte de tecnologia da informação, para contar com novos como biotecnologia, fármacos, TI,  novos materiais, logística, economia verde e economia criativa.

O caminho para apoiar a transformação de Joinville no novo modelo de cidade se baseia nos princípios de infraestrutura tecnológica, democratização do acesso à internet e criação de um ecossistema criativo. 

Para atingir as metas, o projeto visa à atração de empresas de base criativa, fomento à rentabilidade do patrimônio público e estímulo à geração de emprego e renda de alto valor agregado. 

O programa contará com a criação de um fundo de aval, segundo o A Notícia. A publicação relata que o secretário de Desenvolvimento Econômico, Danilo Conti, sugere que para cada R$ 1 aportado, o banco financiador dê R$ 15 para possibilitar a continuidade e o crescimento do modelo proposto. 

Também haverá um fundo de equalização de juros para ajudar a compor a proposta do plano de inovação, com uma instituição financeira para garantir a operação do fundo.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sider) vai mobilizar entidades de classe a participarem das plataformas que serão difundidas nesse programa e contribuir com ideias e ações para colocar em prática ações de desenvolvimento voltados à economia criativa, principalmente através de startups. 

Hoje, a prefeitura já oferece alguns serviços à população por meio eletrônico, parte de um projeto de cidade inteligente, disponibilizando a 2ª via do carnê de IPTU, alvarás, certidões, Sistema de Informações Georreferenciadas (Singeo), Sistema Eletrônico de Informações, adoção de tablets e lousas digitais, notebooks na rede escolar.