Embratel está liderando grande implantação de nuvem no governo. Foto: Pexels.

O Instituto Federal do Piauí (IFPI), instituição de ensino ligada ao Ministério da Educação, vai migrar os seus servidores para a nuvem da AWS, em um projeto feito com consultoria da Embratel. 

Com o projeto, o Sistema Unificado de Administração Pública (Suap), responsável pela informatização dos processos administrativos e gerência organizacional do IFPI, passará a rodar na nuvem, entre outros sistemas. 

Antes da migração feita pelo cliente, a Embratel também criou redes e dispositivos de segurança para suporte da infraestrutura do IFPI na Nuvem, como WAF (Firewall de Aplicativos Web), para interceptação de tentativas de ataques cibernéticos aos sistemas. 

O acesso para gerenciamento dos dados em Nuvem é feito por meio do Painel Multicloud Embratel, uma plataforma de gestão de múltiplas Clouds, por pessoas previamente definidas pelo IFPI.

“Queremos proporcionar mais facilidade e qualidade no acesso às informações e ferramentas para uma experiência mais positiva, rápida e simples aos usuários”, diz Eduilson Livio Neves da Costa Carneiro, Diretor de Tecnologia da Informação do IFPI.

O Instituto Federal do Piauí é uma instituição de ensino básico, técnico e superior especializada na oferta de educação tecnológica e profissional em diferentes modalidades de ensino. 

O projeto com a Embratel faz parte de licitação vencida pela empresa para fornecimento de soluções, apoio técnico e treinamento de computação em nuvem para diversos órgãos do governo federal.

Em nota, a Embratel não chega a mencionar a dimensão global da iniciativa.

Recentemente, o site brasiliense Convergência Digital revelou que o projeto envolve  23 órgãos públicos, 10 deles que constavam da ata original e mais 13 que aderiram à licitação depois.

Como resultado, o pregão de R$ 29,9 milhões já alcançou R$ 55 milhões em contratações de serviço.

Estão previstas migrações para a AWS em órgãos tão diferentes como  Ministério da Fazenda, Cade, Polícia Rodoviária Federal,  Agência Nacional de Águas, Conselho Nacional de Justiça, INSS e o Jardim Botânico do Rio de Janeiro.