Cave da Salton, que se prepara para expandir e busca reforço da TI. Foto: divulgação.

A Salton, vinícola com sede em Bento Gonçalves e faturamento estimado em R$ 290 milhões em 2012, cerca de 13,7% sobre os R$ 255 milhões faturados em 2011, implantou as plataformas m:Mail e m:Mail Marketing, da Mandic.

Ernani Madureira, gerente de TI da Salton, explica que as soluções potencializaram as campanhas de e-mail marketing realizadas pela loja virtual da companhia, que ficam na média de duas a três por mês, que são distribuídas para 19 mil contatos.

“A solução m:Mail Marketing resultou em aumento de compras online e de visualizações da loja, sendo possível ainda, determinar qual a melhor estratégia para a ação”, detalha ele.

A ferramenta também possui recursos de back-up, monitoramento das mensagens, possibilidade de segmentação do envio de informações, personalização de mensagens e mensuração de resultados, com emissão de relatórios e controle em tempo real das campanhas.

Já o serviço m:Mail é usado como um dos principais meios de comunicação da Salton hoje, garante Fabiane Manara, responsável pela loja virtual da Salton.

“Os envios são feitos com rapidez e não sobrecarregam nossos links de internet. Os resultados podem ser analisados, o que contribui para o planejamento de outras ações dentro da loja virtual”, explica ela.

O contrato reforça a estratégia da Mandic, que tem matrizes em São Paulo e no Rio de Janeiro, de crescer no Sul, onde instalou recentemente uma representação em Joinville.

A abertura se somou a outras investidas recentes feitas em Porto Alegre e na implantação de um escritório em Curitiba.

As ações fazem parte de um investimento que, no total, somou R$ 4 milhões desde o recebimento, em março de 2012, de um aporte de R$ 100 milhões da Riverwood Capital, com o que a Mandic expandiu o portfólio de nuvem com a compra da Tecla Internet, reforçou a infra de hardware com Oracle, Dell e Juniper, e fortaleceu as regionais e matrizes, com a contratação de 100 colaboradores em quatro meses.

No Sul, a meta é ampliar os ganhos em uma região que hoje tem fatia em torno de 15 a 20% da receita geral da companhia, que em 2012 foi de R$ 30 milhões, alta de 40% sobre 2011.

O plano, segundo o CEO da Mandic, Maurício Cascão, é chegar à casa dos R$ 300 milhões até 2015.

Na Salton, as soluções ampliam o leque de ações focadas em TI, o que já é uma tradição na empresa centenária da Serra Gaúcha cujos planos de expansão passam por um investimento de R$ 45 milhões anunciado em 2012 para os próximos sete anos.

Do investimento geral, a estrela é uma nova fábrica, que começou a ser instalada no ano passado em Santana do Livramento, na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, mas a abertura de uma nova unidade em Bento Gonçalves não está descartada, com projeções orientadas a 2014.

Para dar suporte a este crescimento, a vinícola mantém a TI no foco. No ano passado, adotou um sistema baseado em tecnologia wireless para a fermentação de vinhos.

A solução, na qual a companhia investiu R$ 600 mil, inclui cinco tanques da fabricante italiana Favotto e um sistema embarcado que permite controlar à distância as etapas de produção dos vinhos, da remontagem à manutenção de temperatura.

Controle mais do que válido para uma produção que ultrapassa os 40 milhões de litros por ano, incluindo vinhos, espumantes, destilados e sucos.

Outro projeto da TI da vinícola, este de 2011, foi a migração do ERP TotalData para o Totvs Protheus.

Também naquele ano, a empresa de Bento também anunciou planos de investir em um novo sistema de controle e gerenciamento do recebimento de uvas, permitindo identificar por código de barras de que caminhão e de que fornecedor veio o material, além de indicar dados de pesagem e qualidade das uvas, entre outros.

Com as novas soluções, a renovação do parque de servidores, para dar suporte às estruturas, também entrou no mapa.

A TI da empresa serrana se divide entre a sede, no distrito de Tuiuti, em Bento, e São Paulo, onde fica o CPD da companhia.

O time interno cuida da interface entre as software houses e o usuário, mas também atua em algumas manutenções de hardware – as que envolvem dados internos.

Todo o resto é terceirizado.