Mandic está de olho no mercado de nuvem. Foto: flickr.com/photos/francoisroche

Francisco Rodrigues Gomes, ex-diretor de marketing e vendas da fabricante de produtos odontológicos Angelus de Londrina, acaba de assumir a diretoria de marketing da Mandic

A experiência prévia de Gomes reflete mais os planos de reposicionamento no mercado da Mandic como um provedor de cloud computing.

O executivo foi diretor de vendas da vertical de telecom e internet da gigante indiana TCS.

Além disso, teve passagens por empresas  como iG, Brasil Telecom.

Gomes começou a carreira em Londrina, na Sercomtel, empresa na qual atuou por 10 anos e saiu como diretor de mercado. 

“Queremos ser a maior e mais rentável empresa de computação em nuvem da América Latina focada na busca constante por superar as expectativas dos clientes e em construir robustas soluções de fácil utilização, com inovação orientada a resultado”, comenta Gomes.

A transformação da Mandic, conhecida pelo seu serviço de e-mail, em um provedor de cloud comptuing acontece em meio a amplos aportes de capital. 

Em 2012 a Mandic recebeu um aporte de R$ 100 milhões da Riverwood Capital, grupo de investimento global especializado em empresas de tecnologia. 

Parte do dinheiro foi usado na compra da Tecla, com a qual a Mandic ampliou o seu portfólio para ofertas de servidores cloud, registro de domínio, certificado digital, backup, storage e hosting.

Já em 2013 foi a vez da Intel Capital, que não abriu o valor do aporte. Normalmente, a Intel Capital faz investimentos entre US$ 2 milhões e US$ 20 milhões.

A Mandic ainda não divulgou seus resultados em 2013. A expectativa da empresa era fechar o ano com um crescimento de 40% e receita entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões. No médio prazo, a meta para 2015 é de R$ 100 milhões.