Iedo Joner Jr.

De olho no boom do turismo para a Copa do Mundo e na demanda por conexão em ambientes como restaurantes e lanchonetes, uma startup gaúcha está apostando em um novo conceito para conquistar clientes: o wireless in a box.

Quem está trazendo a novidade é a MKT Brasil, de Novo Hamburgo, que desenvolveu um equipamento para oferecer redes sem-fio de instalação facilitada, com acesso limitado ou livre à Internet para clientes.

Segundo Iedo Joner Jr., ex-diretor de grandes contas da SouthTech Telecom, hoje a frente do novo empreendimento, a tecnologia foi adquirida da matriz da MKT nos Estados Unidos, e adaptada para um hardware local, em um investimento de aproximadamente R$ 300 mil reais.

"Licenciamos a tecnologia e colocamos ela dentro de uma caixa, de fácil instalação, e passaremos a oferecer ela através de serviço, com mensalidades a partir de R$ 59. É o que chamo de hardware as a service", explica o empresário.

A produção das caixas é feita internamente pela MKT, com equipamentos comprados no mercado, e configurados especificamente para a tecnologia. Segundo Joner, no momento este modelo de produção dá conta da demanda.

Recém lançada no mercado, a tecnologia ainda está nos primeiros clientes, mas o plano da empresa é chegar aos mil equipamentos instalados nos próximos doze meses.

Para Joner, as redes podem oferecer diferentes níveis de conexão. O equipamento conta com uma memória interna que pode armazenar informações do estabelecimento, como uma rede limitada de acesso, contando com vídeos, textos, entre outros dados.

"É possível criar uma rede sem fio, sem acesso à internet, fornecendo aos clientes apenas as informações do estabelecimento, como cardápios, fotos de pratos, com textos em diversos idiomas", ilustra.

Joner explica que o uso do equipamento é um avanço ao que geralmente é feito em restaurantes que disponibilizam redes Wi-Fi aos clientes, disponibilizando uma rede mais segura.

Segundo o executivo, as redes podem exigir o cadastramento dos usuários, contando também com ajuste de velocidade e uso de banda, sem interferir na rede interna do estabelecimento.

"Muitas vezes, a rede Wi-Fi de locais públicos é a mesma da loja, e isso pode deixar o sistema desprotegido contra ataques", explica Joner.

CONTEÚDO

O diretor enfatiza o foco na disponibilização de conteúdos em diferentes idiomas, uma preocupação de diversos estabelecimentos na recepção aos turistas para a Copa do Mundo e outros eventos.

A empresa apresentou a solução para a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), e foi recebida pelos integrantes da entidade, que aprovaram a abordagem prática do equipamento.

"Eles gostaram do nosso produto, que é uma alternativa aos apps, que são mais caros e nem sempre funcionam por problemas de conexão móvel ou falta de Wi-Fi. Por ser um equipamento plug-and-play, a conexão pode ser feita de forma rápida e segura", frisa Joner.

Para esta parte de conteúdo, a MKT está definindo parcerias com empresas de design para o desenvolvimento de templates e serviços de design de interface para as redes internas a serem usadas na caixa.

Segundo explica Joner, nesta fase inicial, ainda nos primeiros clientes, a MKT está incluindo a parte de conteúdo dentro do serviço do hardware. No entanto, nos próximos meses, o plano é criar um programa de parceiros para este desenvolvimento.

"A ideia é ficarmos somente com a parte de instalação e fornecimento dos equipamentos, indicando agências parceiras para a criação de conteúdos para os estabelecimentos", destaca.