Foursquare passa por reformulação. Foto: flickr.com/photos/nanpalmero

O Foursquare divulga hoje o primeiro aplicativo que marca a divisão em duas partes da plataforma já conhecida para tentar se tornar tão forte quanto os populares Facebook e Twitter. O Swarm deverá estar disponível para download em pouquíssimo tempo e o novo Foursquare será lançado em aproximadamente um mês.

Inicialmente o Swarm coexistirá com o aplicativo Foursquare atual, e será um mapa social do que está em alta, ajudando os usuários a encontrar amigos próximos e fazer check-in para compartilhar sua localização. 

Já o novo Foursquare vai abandonar o check-in e se concentrar apenas na exploração e descoberta, posicionando-se como um concorrente ao Yelp, plataforma de localização de estabelecimentos.

O Foursquare surgiu em 2009 com uma funcionalidade que permite que as pessoas dêem "check in" em um local. Essa visão, e as informações locais que a seguiram, impulsionaram o app a acumular dezenas de milhões de usuários, centenas de milhões de dólares em financiamento e bilhões e bilhões de pontos de dados de pessoas que usam Foursquare para verificar locais em todo o mundo.

Acontece que, segundo relato do CEO da empresa, Dennis Crowley, no site The Verge, “criar um botão de check-in impressionante” não era a ideia central da companhia.

Segundo analistas, a empresa criou um novo paradigma em torno de compartilhamento de localização, mas a atividade nunca será tão popular como tirar uma selfie, compartilhar um link ou disparar um tweet.

É com um novo caminho em mente que a empresa lança o Swarm, primeiro fruto do trabalho que repensou a ferramenta.

A decisão do Foursquare pode ser vista como parte de uma tendência mais ampla no mobile, de separar propriedades complexas em uma suíte de aplicativos conectados ao invés de tentar reunir inúmeros recursos em um único local. 

MUDANÇAS

Segundo Bijan Sabet, um dos primeiros investidores do Foursquare e membro do conselho atual, ter o botão de check-in como a interface principal cria um obstáculo notável para o engajamento.

"Assim como você não precisa twittar para desfrutar do Twitter, dividir o aplicativo em dois vai ajudar a tornar mais claro para um grande público que você não precisa fazer check-in para encontrar valor no Foursquare”, explica.

No entanto, a concorrência é feroz. Duas semanas antes do Foursquare anunciar sua grande divisão, o Facebook estreou uma ferramenta para encontrar amigos próximos, que funciona de forma muita parecida ao Swarm. 

Tanto o Swarm quanto a função do Facebook tentam aliviar as preocupações do usuário , proporcionando uma visão de quais amigos estão por perto sem dar muitos detalhes. 

Segundo Noah Weiss, vice-presidente de gerenciamento de produto do Foursquare, muitas ferramentas estão usando a função de compartilhamento de localização de uma forma indesejada.

"Os usuários não querem ser localizados com precisão de latitude e longitude em um mapa, para que alguém possa ir encontrá-los no meio de um parque. Eles querem é que os amigos tenham noção de onde eles estão, para que quando saem de uma estação de trem, possam dizer: 'Quem são os meus 10 amigos aqui perto?’”, completa.

Fontes do The Verve familiarizadas com a situação dizem que o Foursquare cresceu sua receita de cerca de US$ 2 milhões em 2012 para US$ 12 milhões em 2013, e está a caminho de fazer entre US$40 e US$50 milhões este ano.