Presidente do grupo Petrópolis, Walter Faria e governador Beto Richa. Foto Orlando Kissner/ANPr.

O Grupo Petrópolis, segunda maior cervejaria do Brasil,  vai investir R$ 2,2 bilhões no Paraná para a implantação de uma maltaria e uma fábrica de cerveja.

Além disso, o projeto da companhia inclui o arrendamento de duas unidades de processamento da soja no Estado. 

Segundo o governo do Paraná, as novidades criarão mais de 6 mil empregos diretos e indiretos. 

Na implantação da cervejaria serão investidos R$ 600 milhões. A unidade deve ocupar um terreno de 500 mil metros quadrados e produzir em média 300 milhões de litros (entre cerveja e chopp) por ano. 

A fábrica deve ser instalada em 48 meses e atenderá aos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além de parte do mercado do estado de São Paulo. 

A empresa confirmou que a unidade paranaense de malte será instalada na Região dos Campos Gerais. Já a unidade de cerveja ainda não tem o município definido.

“Estamos estudando a região que melhor nos atende na questão logística e de mão-de-obra”, afirmou Eliana Cassandre, gerente de marketing do Grupo Petrópolis. 

Na maltaria, a primeira do Grupo, o investimento previsto é de R$ 262,7 milhões, em uma planta industrial que vai beneficiar 160 mil toneladas de cevada por ano.

Com cinco fábricas em operação e mais uma em construção, o Grupo é responsável pela geração e manutenção de 19 mil empregos diretos.

O Grupo Petrópolis também firmou contrato de arrendamento da Imcopa com a FEMA, fundo que assumiu a empresa para a reestruturação financeira. 

De acordo com o contrato, operações e empregos estão preservados nas duas unidades de processamento de soja da Imcopa no estado, em Araucária e Cambé. A previsão é de que sejam aplicados R$ 1,4 bilhão até 2021. 

O Grupo Petrópolis é dono das marcas Crystal, Lokal, Itaipava, Black Princess, Petra e Weltenburger, dos energéticos TNT Energy Drink e Magneto, do isotônico Ironage, das vodkas Blue Spirit e Nordka e da água Petra. 

Os investimentos privados confirmados para o Paraná, só no mês de abril, somam R$ 4 bilhões. 

Além do empreendimento do Grupo Petrópolis, a Volvo e a Renault assinaram protocolos com o governo para enquadramento no programa Paraná Competitivo de projetos de ampliação das atividades industriais.