O foco principal das “micro agências” é a atuação nas redes sociais. Foto: flickr.com/photos/gaf

A Social Lounge, rede de franquias de agências de mídia social, lançou sua primeira sede na Zona Leste de São Paulo, região conhecida por bairros populares como Mooca e Penha, nos quais residem 3,6 milhões de paulistas.

O objetivo é atender à alta concentração de micro e pequenos negócios ligados ao comércio e prestação de serviço que, no entanto, não contam com um serviço profissionalizado nas redes sociais, ou qualquer presença no mundo online.

O foco principal das “micro agências” é a atuação nas redes sociais. Desde o planejamento estratégico, gestão de conteúdo de ativação, engajamento e monitoramento é desenvolvido pela franquia.

Além disso, o negócio pode oferecer uma gama completa de ações em marketing digital, como a criação de campanha de links patrocinados, e- mail marketing, web analytics e criação de sites institucionais.

"Como outras agências maiores não conseguem baratear seu custo na prestação de serviço, enxergamos ali um enorme nicho de mercado, com baixa concorrência" revela Fábio Tabata, morador da Zona Leste paulista e um dos donos da franquia.

Tabata destaca que apesar da região ser de menor poder aquisitivo, tem um mercado de prestação de serviços aquecido pela emergência dos consumidores da classe C. O empreendedor não abre valores, mas afirma que os orçamentos atendem ao mercado em que atua.

A classe C, ou a conhecida "nova classe média", responde por 53,9% da população. Nos últimos anos, além de crescer em número de pessoas, passou de um nicho de mercado para se transformar no novo mercado brasileiro, movimentando, em 2011, R$ 1,03 trilhão.

São 104 milhões de pessoas que viram sua renda melhorar, se estabeleceram de forma definitiva no mercado de trabalho e contam com acesso ao crédito, o que possibilitou uma mudança drástica em seu poder de  consumo.

A meta, até o fim do ano, é ter de 10 a 15 clientes no portfólio.

A rede de franquias Social Lounge foi criada em setembro do ano passado por Monica Lobenschuss. A empresária também é dona da Core Comunicação, especializada em comunicação corporativa.

“Há cerca de cinco anos começamos ter muita demanda de serviços de mídia social, com muitos clientes em potencial decidimos então atender essa demanda com serviços customizados” afirma Monica.

A taxa para adquirir uma franquia é de R$ 15 mil.

Como parte do pacote adquirdo pelo franqueado, são oferecidos treinamentos com até cinco módulos que variam entre vendas, gestão, marketing, midias sociais e administração. Além disso, na fase inicial o empreendedor conta com um suporte através de atendimento online.

“O target das franquias são jovens empreendedores dessa geração Y. São pessoas que tem espirito empreendedor ou que ainda não se estabilizaram no mercado de trabalho e querem entrar nesse ramo” comenta Monica.

Até o momento, a Social Lounge desponta no Brasil com cinco franquias em três cidades. Dessas, três se encontram na capital [incluindo a da Zona Leste], uma em São José dos Campos, na grande São Paulo e outra em Fortaleza, no Ceará. A meta para 2018 é chegar a 100 unidades.