ELEIÇÕES

TRE-PB: hiperconvergência com Nutanix

02/05/2022 18:20

Outros quatro estados também adotaram a plataforma para garantir disponibilidade no processo eleitoral.

Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil.

Tamanho da fonte: -A+A

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) adotou a plataforma de hiperconvergência da Nutanix para garantir a disponibilidade e resiliência do sistema de atendimento ao cidadão e na transmissão dos boletins de urna ao sistema central do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O projeto foi desenvolvido com a Approach Tecnologia, integradora catarinense da marca.

Até então, o TRE-PB contava com sistemas fornecidos por múltiplos fabricantes, cada qual com a sua sintaxe e interface de administração proprietárias.

Essa situação criava um cenário altamente complexo, de difícil gestão e imprevisível para crescimento, gerando pressões difíceis sobre a equipe de informática em termos de recuperação de falhas, curva de aprendizagem e custos de manutenção. 

Baseada na experiência do TRE Tocantins, que já havia adotado a plataforma da Nutanix anteriormente, o tribunal paraibano resolveu sair da arquitetura de três camadas para a hiperconvergência.

Com isso, todos os serviços de autenticação de diretórios, acesso à internet nas zonas eleitorais, máquinas virtuais e os sistemas administrativos internos do órgão passaram a rodar na infraestrutura da americana.

Ali também estão os sistemas de autenticação do servidor remoto que permitiu o trabalho em home office durante a pandemia. No dia da próxima eleição, é por meio de uma máquina virtual nesta plataforma que serão transmitidos ao TSE os boletins de urna com o voto dos paraibanos. 

Para isso, o TRE-PB possui hoje dois conjuntos de TI em localidades distintas, configurados em alta disponibilidade utilizando o recurso de Metro-Availability, que se replica de forma on-line e síncrona para aumentar a resiliência do ambiente.

Cada local possui quatro nós Nutanix NX-8155-G6 gerenciados com os softwares Acropolis Ultimate e Prism Pro. No espaço, houve a redução de seis racks para apenas dois, sendo um em cada site do tribunal.

Segundo Pedro Lima Neto, servidor da secretaria de informática do TRE-PB e chefe da seção de infraestrutura de redes do órgão, a plataforma trouxe a tranquilidade de balancear a carga de trabalho entre os nós.

“Na arquitetura anterior, qualquer componente que desse algum tipo de problema causava um tempo de parada do sistema que poderia afetar o eleitor por dias. Hoje, em questão de minutos, o sistema volta ao seu funcionamento normal”, destaca. 

Segundo o tribunal, o índice de disponibilidade no atendimento ao cidadão aumentou, chegando a 99,9%. Como todas as informações de telemetria podem ser observadas em um painel único, que indica rapidamente qualquer anomalia, o projeto também teria elevado a segurança da informação.

Em 2023, a instituição ainda deve migrar para a plataforma de virtualização hypervisor AHV, da Nutanix.

O órgão paraibano conta com 68 zonas eleitorais e mais de 3 milhões de eleitores registrados. Além dos TREs da Paraíba e de Tocantins, outros três estados também adotaram a solução: Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte.

“O eleitor pode não saber de todo este trabalho nos bastidores, como muitos usuários finais de nossas tecnologias, mas nos orgulhamos em colaborar com a infraestrutura de um direito vital ao cidadão”, afirma Leonel Oliveira, country manager da Nutanix Brasil. 

Fundada em 2009, a americana Nutanix é especializada em computação em nuvem privada, híbrida e multicloud. Listada na Nasdaq, tem 6,1 mil funcionários e receita de US$ 1,39 bilhão no último ano fiscal.

A Approach tem sede em Florianópolis e é focada em soluções de TI para o setor público desde 2016. Entre os seus clientes, também estão Eletrobras, IBGE e Universidade Federal de Sergipe.

Veja também

INFRA
Intervalor: hiperconvergência com Dell

Com um ano de implantação, projeto da V8 Consulting também contou com soluções da VMWare.

INFRA
Neoenergia: hiperconvergência com Nutanix

A integradora Populos foi responsável pelo projeto em quatro subsidiárias da companhia.

EXCLUSIVO
EMAE aposta em hiperconvergência com HPE

Projeto com a MPE Soluções teve um investimento de R$ 2,75 milhões.

INFRA
Fundação Copel: hiperconvergência com Service IT

A entidade curitibana adotou soluções da Dell e da Oracle no projeto.

INFRA
Prefeitura de Araras: hiperconvergência com HPE

No projeto, a MPE Soluções fez a migração do ambiente de virtualização de 20 servidores físicos.

INFRA
Com4 Data Center: hiperconvergência com Nutanix

Desenvolvimento das estruturas demorava cerca de seis meses e agora leva 24 horas.