Google arremata Songza. Foto: divulgação.

O Google anunciou nesta quarta-feira, 02, a compra do Songza, um serviço de curadora de música. Com a aquisição, o Google estende sua atuação para um serviço para dar indicações musicais para seus usuários.

Embora o valor da compra não tenha sido divulgado, veículos como site norte-americano Business Insider apontam que o negócio foi fechado por cerca de US$ 15 milhões. A ideia do Google é incorporar a aplicação ao seu serviço de assinatura Google Play Music All.

Comprando o Songza, a gigante das buscas pretende aumentar a qualidade de sua aplicação de curadoria, recurso em que a empresa ainda perde para concorrentes como Spotify, Pandora e Apple.

O Songza recomenda aos usuários músicas de acordo com humor, localização, atividade, pessoas que estão na companhia e estilos de preferência.

Segundo analistas, capacidades como recomendações de músicas estão em alta entre os serviços de assinatura de música. Até a poderosa Apple e seu iTunes se renderam a esta nova tendência. Com a compra recente da fabricante de fones Beats por US$ 3 bilhões, a Apple também mirou a incorporação do serviço Beats Music e sua aplicação de curadoria musical.

"Há uma razão interessante porque o Google está atrás nesta corrida: música não responde a alogritmos de busca  - o forte da empresa - de maneira simples como palavras ou imagens. É fácil criar software que reconheça palavras ou frases. É imensamente mais difícil fazer programas que 'escutam' audio, codificá-los com os atributos certos e correlacionar estes dados com buscas e músicas semelhantes, coisa que o Pandora faz", destacou Megan Dickey, do Business Insider.

Com a inteligência do Songza, o Google espera impulsionar a sua plataforma de venda de conteúdo musical. Além disso, a empresa está trabalhando com o Youtube em uma oferta de streaming no estilo do Spotify.

Atualmente o Songza conta com cerca de 5,5 milhões de usuários, número modesto em relação aos 40 milhões que utilizam o Spotify, empresa que recentemente fez sua entrada no mercado brasileiro.