Michael Dell segue a trajetória de mudanças na Dell. Foto: Divulgação.

A Dell anunciou um negócio pelo qual voltará a ser uma companhia com ações abertas na bolsa.

O movimento será feito através de uma operação complexa envolvendo a VMware, companhia controlada pela Dell. O que não muda é que o negócio segue firmemente nas mãos do fundador, Michael Dell.

A VMware tem dois tipos de ações, negociadas separadamente: 18% são ações próprias e 82% são as chamadas chamadas "tracking stocks", um tipo de ação que acompanha a performance da empresa, mas não dá direito a uma participação efetiva na composição acionária.

Essas ações, conhecidas pela sigla DVMT, foram criadas em 2016 como parte da arquitetura financeira para a compra da EMC, que até então era a dona da VMware.

Com o negócio, a Dell vai comprar as ações DVMT, já seja com dinheiro ou com uma emissão de novas ações da própria Dell. 

No total, o negócio é de US$ 21,7 bilhões, parte do qual virá de uma emissão de dividendos especiais de US$ 11 bilhões por parte da VMware e outra de ações e dinheiro da Dell (dos donos das ações DVMT podem escolher o pagamento).

Especulações sobre o próximo capítulo dos planos da Dell já vinham de meses, com várias soluções tendo sido cogitadas para resolver o problema da complexidade da empresa após aquisição da EMC, um negócio de US$ 67 bilhões fechado em 2016.

A empresa tinha ainda uma dívida enorme a pagar, contraída pela aquisição da EMC e na operação de fechamento de capital, em 2013. O valor da dívida chega a US$ 52 bilhões.

A Dell aproveitou seu tempo como uma empresa de capital fechado para se reposicionar, deixando de ser uma companhia de PCs e servidores para agregar uma oferta completa de hardware e softwares ligados à área de infraestrutura.

Desde então, a incrementou sua posição no mercado de PCs assumindo a liderança nos Estados Unidos (e no Brasil também), ao mesmo tempo em que superava a HP no mercado de servidores.

"Em 2012, as pessoas estavam dizendo que o PC estava morto. Não estava. E três anos atrás, diziam que tudo iria para a cloud pública. Isso estava completamente errado também", disse Michael Dell em entrevista sobre a abertura de capital ao New York Times.