Em 2017, a Fórmula 1 foi assistida por 1,8 bilhão de telespectadores. Foto: Divulgação.

A Fórmula 1 firmou um acordo com a Amazon Web Services (AWS) para migrar a maior parte de sua infraestrutura de data centers físicos para a AWS, além de utilizar como padrão os serviços de análise de dados e aprendizado de máquina da companhia. 

A Fórmula 1 trabalhará com a AWS com o objetivo de aprimorar suas estratégias de corrida, sistemas de rastreamento de dados e transmissões digitais por meio de serviços como o Amazon SageMaker, solução de aprendizado de máquina que permite que desenvolvedores e cientistas criem e implementem modelos com facilidade.

O projeto ainda inclui o AWS Lambda, serviço de computação serverless orientado a eventos da AWS; e os serviços de analytics da AWS. A Fórmula 1 também selecionou o AWS Elemental Media Services para potencializar seus fluxos de trabalho de recursos de vídeo.

Com o Amazon SageMaker, os cientistas de dados da Fórmula 1 estão em fase de treinamento de modelos de deep learning a partir de 65 anos de dados históricos de corridas, armazenados no Amazon DynamoDB e no Amazon Glacier. 

Assim, a Fórmula 1 espera extrair estatísticas críticas de desempenho de corrida para fazer previsões e fornecer aos fãs informações sobre decisões e estratégias adotadas por equipes e pilotos.

Os cientistas de dados da Fórmula 1 podem prever, por exemplo, quando a janela de oportunidade está se abrindo ou fechando para as equipes colocarem seus carros em vantagem máxima, bem como determinar o melhor momento para trocar os pneus. 

"Para as nossas necessidades, a AWS supera todos os outros provedores de nuvem em velocidade, escalabilidade, confiabilidade, alcance global, comunidade de parceiros e abrangência e profundidade dos serviços. Estamos entusiasmados com o fato de que a divisão de Motorsports executará cargas de trabalho de Computação de Alta Performance em um ambiente escalável na AWS. Isso aumentará significativamente o número e a qualidade das simulações que a nossa equipe de aerodinâmica pode executar ", diz Pete Samara, Diretor de Inovação e Tecnologia Digital da Fórmula 1.

Em 2017, a Fórmula 1 foi assistida por 1,8 bilhão de telespectadores. O Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA de 2018 vai de março a novembro e abrange 21 corridas em 21 países nos cinco continentes.