Gilsomar Maia.

A Totvs fechou o segundo trimestre de 2018 com uma receita líquida de R$ 574,8 milhões, uma alta de 4,4% frente aos resultados do mesmo período do ano anterior.

A alta foi bem mais acentuada na chamada receita de subscrição, gerada pelo pagamento recorrente de assinaturas de softwares da empresa: R$ 97,1 milhões, 31,2% acima do segundo trimestre de 2017.

“Continuamos avançando no modelo de subscrição, que já representou mais de 25% da receita de software deste trimestre, focados no crescimento sustentável da Totvs, com controle de custos e manutenção de investimentos em pesquisa e desenvolvimento”, destaca Gilsomar Maia, CFO da Totvs.

É o melhor resultado da Totvs desde o primeiro trimestre de 2015, quando a empresa emplacou uma alta de 6,2%. 

Depois, em 2016, a Totvs enfrentou quatro trimestres de quedas no faturamento e vinha se recuperando desde então. O ano passado fechou com uma alta de 2%.

Tão importante quando a aceleração são os resultados do modelo SaaS, para o qual a Totvs está realizando uma migração que fere resultados de curto prazo ao trocar licenças de um ano por assinaturas mensais.

Em 2017, a receita com subscrição registrou um crescimento de 34,3% em relação a 2016, atingindo a soma de R$ 307,9 milhões. As receitas de manutenção, cobradas sobre as licenças tradicionais de software, subiram 1%, mas ainda são responsáveis por R$ 1 bilhão do faturamento.

A receita de serviços chegou a R$ 135,4 milhões, um crescimento de 11% quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

O lucro líquido ajustado totalizou R$ 28,4 milhões no trimestre, montante 6,9% superior ao registrado no segundo trimestre de 2017.