Com o aporte, as duas empresas buscam expansão internacional. Foto: Pexels.

O Fundo Primatec tem duas novas empresas entre suas investidas: Target Solutions e Autaza Tecnologia. Com os novos aportes, o fundo chegou ao seu décimo investimento. 

A organização não detalha os valores. No entanto, a média dos aportes nos 10 primeiros investimentos do fundo ficou em R$ 4 milhões. 

A Target Solutions oferece a operadoras de telecomunicações uma solução para gerenciamento de redes. A validação empresa atende a clientes como Claro e Oi. Suas soluções possuem integração com os principais fornecedores de equipamentos de telecomunicações, como Nokia, Cisco, Nec, Huawei, entre outros.

“A Target atua em um mercado com empresas muito grandes e concentradas que concorrem em um mercado ainda maior. Entregar tecnologia de ponta e que de fato agregue valor é um desafio constante. Por isso, não abrimos mão de investir em P&D e manter um contato direto com a academia”, diz Edgar Crespo, fundador da Target.

Crespo atuou por três anos na Alcatel-Lucent antes de começar a operação com a Target, em 2008.

Já a Autaza atua no processo de controle de qualidade da indústria automotiva, por meio do uso de visão computacional, machine learning e inteligência artificial.

A empresa está instalada no Parque Tecnológico de São José dos Campos e nasceu de um projeto de pesquisa e desenvolvimento entre o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e a General Motors (GM). A Autaza possui clientes em três países e atende a nomes como Embraer, Opel e Saint Gobain. 

“O investimento foi desenhado com especialistas de diversas áreas do Fundo Primatec, provendo à startup, além do recurso financeiro, uma visão global e multidisciplinar da estratégia de expansão da companhia”, destaca Renan Padovani, CEO da Autaza.

Com o aporte, as duas empresas pretendem realizar sua expansão internacional. Somadas suas receitas, as companhias planejam atingir um patamar de faturamento de R$ 100 milhões no quinto ano do investimento.

Para os próximos 10 investimentos, o Primatec pode investir até R$ 15 milhões por empresa. O fundo possui R$ 100 milhões de capital comprometido. 

A organização já analisou mais de 500 negócios provenientes de incubadoras de empresas e parques tecnológicos nacionais para definir seus investimentos.

“Nós buscamos negócios escaláveis, competitivos globalmente e potencializadores de uma posição de destaque científico do país. Com eles, nós vemos o quão competitiva pode ser nossa tecnologia a nível mundial. O desenvolvimento desses negócios gera valor agregado para a indústria nacional e atende a necessidades globais”, diz Robert Binder, gestor do Fundo Primatec.

Os cotistas do Primatec são Finep, BNDES, Bandes, BDMG e Fapemig.