VENDAS

Positivo usa mais SAP

02/08/2022 14:13

Fabricante de hardware adota soluções focadas em relacionamento com clientes.

Positivo tem soluções para diferentes públicos. Foto: Positivo.

Tamanho da fonte: -A+A

A Positivo, uma das maiores fabricantes de hardware do Brasil, adotou as SAP Customer Data Platform e SAP Emarsys Customer Engagement, com o objetivo de melhorar o seu relacionamento com os clientes.

O SAP Customer Data Platform realiza o processamento de grandes volumes de dados em tempo real e permite extrair insights valiosos para o negócio. 

Já o SAP Emarsys Customer Engagement é a ferramenta de marketing que coloca em prática campanhas direcionadas, com base nos dados que Customer Data Platform coletou.

A segmentação de clientes é chave para a Positivo, que trabalha com um portfólio amplo, indo desde computadores até dispositivos para casas inteligentes, passando por celulares, servidores e tecnologias educacionais, para compradores que podem ser consumidores, empresas ou escolas e repartições públicas.

“Dados estão entre os maiores ativos de uma empresa. Dispor de uma imensa quantidade de informações de alto valor sobre nossos clientes pode fazer a diferença no desenvolvimento de produtos e serviços, na melhoria de nossos canais de atendimento e de processos internos”, explica Norberto Maraschin Filho, vice-presidente de Consumo e Mobilidade da Positivo Tecnologia.

Outra preocupação importante era fazer a governança dos dados de maneira conforme à nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). 

“Combinar dados e objetivos dos clientes para entender como querem interagir conosco é importante. Respeitar essa intenção ao utilizar sistemas de engajamento baseados em permissões definidas diretamente pelos clientes é primordial”, frisa Maraschin.

A Positivo é uma cliente de longa data da SAP no Brasil para os produtos de backoffice. 

A relação já teve lá seus altos e baixos, é verdade. Em 2014, por exemplo, a gigante paranaense optou por terceirizar o suporte do seu sistema de gestão da SAP com a Rimini. Três anos depois, em 2017, a Positivo voltou a fechar um contrato diretamente com a SAP. 

A Positivo fechou o ano passado com uma receita bruta de R$ 4 bilhões, um crescimento de 54% e um resultado do tipo que a fabricante de hardware brasileira não via há muito tempo.

Desde que a Positivo abriu capital e passou a divulgar resultados, há 15 anos atrás, crescimentos nesse nível só foram vistos na estreia dos balanços anuais, em 2006, quando a empresa teve crescimento de 84,4% e no ano seguinte, quando a empresa atingiu R$ 2 bilhões, e cresceu 54,4%.

O crescimento no ano veio junto com lucratividade, com o lucro líquido aumentando 3,5 vezes, para R$ 203 milhões.

A grande mudança de rumos para a Positivo (o game changer, para quem gosta de expressões desnecessárias em inglês) se chama Covid-19 

A pandemia fez a demanda por computadores explodir, tanto em nível corporativo, com empresas precisando entregar equipamentos para o home office, como em nível doméstico, com pais equipando os filhos para o ensino a distância.

O novo cenário já trouxe um bom crescimento de 14,5% em 2020 e parece ter explodido de vez.

Veja também

AMAZÔNIA
Positivo lança hub no Amazonas

A companhia já possui uma fábrica no Polo Industrial de Manaus desde 2015.

ESTÉTICA
MedBeauty: e-commerce B2B com VTEX

A marca fornece insumos para cirurgiões plásticos, dermatologistas e dentistas.

TOPO
CI&T é destaque na Forrester

Consultoria coloca brasileiros no mesmo time da Thoughtworks e Softtek.

IMERSÃO
SAP iO Foundry chega ao Brasil

O programa já contribuiu com a aceleração de mais de 400 startups pelo mundo.

DEVAGAR
SAP: 70% ainda estão no ECC

Dados do Gartner mostram que a migração para o S/4 Hana ainda é lenta.

OMNICHANNEL
Raia Drogasil acelera estratégia com Salesforce

A rede de farmácias está colocando o aplicativo no centro da experiência do cliente.