Celso Sato.

A Accesstage, especialista em soluções para intercâmbio de dados financeiros, vai abrir seis unidades em 2015: Recife, Fortaleza, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia e Porto Alegre.

O investimento chega a R$ 2 milhões e se soma a outro, de R$ 3,5 milhões, que a empresa fez em turbinar a infraestrutura tecnológica no começo do ano.

“Decidimos começar por regiões onde já existia uma demanda reprimida pelos nossos serviços e soluções. Temos, inclusive, alguns clientes nestas localidades e o objetivo, agora, é aperfeiçoar a estrutura de atendimento regional e conquistar, também, novos clientes”, explica Celso Sato, presidente da Accesstage.

A companhia está investindo para recuperar seu ritmo de crescimento, que desacelerou nos últimos anos. Em 2013, último ano com resultados divulgados, a empresa faturou R$ 55 milhões, um crescimento de 10%.

O resultado ficou abaixo da média de 20% que a companhia vinha mantendo. A empresa havia estabelecido a meta de voltar esse ritmo em 2014, o que significaria bater nos R$ 66 milhões, mas não divulgou os resultados do ano passado até o momento.

De acordo com Sato, as novas filiais fazem parte da estratégia da empresa para atingir faturamento de R$ 100 milhões em quatro anos.

“Nosso mercado de atuação ainda tem muito potencial de expansão e, por isso, nos sentimos seguros para traçar essa projeção de faturamento até 2018”, garante Sato.

A Accesstage opera em algumas regiões brasileiras por meio do seu programa de canais. De acordo com Sato, a ideia é somar esforços nos locais onde a companhia possui parceiros.

“Os canais responderão diretamente para as filiais, assim, não fomentamos qualquer tipo de competição entre as frentes, pelo contrário, estimulamos a prospecção em equipe”, completa o empresário.

A Acessstage nasceu como uma VAN (Value Added Network) e costumava ser associada, apenas, ao EDI para tráfego de documentos e troca de informações entre empresas.

“Temos ferramentas que automatizam atividades do departamento financeiro, além de integrar todos os elos da cadeia financeira, varejo, indústria, fornecedores e bancos”, exemplifica Sato.

Com uma base de mais de 95 mil empresas conectadas, a Accesstage tem entre seus clientes Magazine Luiza, NET, ESPM e Liberty Seguros.