O Banrisul quer reforçar sua estrutura para transformação digital com a Stefanini. Foto: Divulgação.

O Banrisul fechou um contrato com a Stefanini para fazer desenvolvimento de software para o banco.

O valor do contrato não foi divulgado, assim como o total de horas ou algum outro indicativo da dimensão do projeto.

Em nota, a Stefanini disse que o time trabalha no modelo de squads de desenvolvimento para atender "às principais verticais do banco", além de promover uma "atualização de tecnologia" nos atuais sistemas do Banrisul. 

A equipe soma 40 pessoas, tanto da Stefanini quanto do banco, mas não há informações sobre quantos profissionais vem de cada lado. Elas serão responsáveis pelos projetos iniciais, com fases planejadas de alinhamento, dinâmica, metodologia e priorização de ações que já estão em andamento desde o mês de maio. 

Os programas contemplam a atualização e as melhorias de sistemas já existentes, com troca de tecnologia e a construção de novos modelos de TI na instituição bancária. 

Entre os projetos está o sistemas de investimentos, um dos maiores e mais importantes do banco. Também há demandas de concepções críticas, onde o objetivo é contar com a contribuição da Stefanini nas áreas de inovação e de open banking, por exemplo.  

A estratégia é tornar o Banrisul mais digital e reforçar a estrutura para a transformação digital que já está em curso na instituição financeira. 

O Banrisul adotou metodologias ágeis na unidade de transformação digital, vinculada à área de tecnologia da informação, que está em operação há pouco mais de um ano. A unidade é uma das cinco divisões do setor de TI, que conta também com as áreas de segurança, desenvolvimento de software, governança e infraestrutura.

“Essa unidade permeia a relação da tecnologia com o negócio, tanto que conta com três gerências: técnica, de negócios e de métodos ágeis”, explicou Jorge Krug, diretor de Tecnologia do Banrisul, em entrevista ao Baguete em maio.

Para firmar o contrato, a Stefanini participou de um processo de licitação do banco.

“Temos uma grande responsabilidade de desenvolver um trabalho de acordo com a qualidade e alta demanda por novos projetos que essa importante instituição bancária requer. Nosso objetivo é apoiá-los para uma onda de transformação digital em seu modelo de negócios”, afirma Eduardo Sinhoreli, gerente de negócios da Stefanini.

Simone Marsnak Motta, superintendente da unidade de desenvolvimento de sistemas do Banrisul, espera introduzir mais conhecimento e expertise de TI no desenvolvimento de projetos no formato ágil a partir do acordo com a Stefanini. 

“Temos um legado de mais de 30 anos e queremos impulsionar nossos processos, dando maior celeridade. Acreditamos que essa parceria com a Stefanini proporcione uma maior aderência aos nossos negócios, com inovação e tendências, inclusive com a perspectiva de aumentar nossa capacidade de colocar novos produtos no mercado. Esperamos que, com essa primeira experiência, possamos, futuramente, ampliar essa sinergia”, detalha Motta.

Com mais de 10 mil colaboradores, o Banrisul atua como um banco múltiplo e opera nas carteiras comercial e de crédito, financiamento, investimentos, crédito imobiliário, desenvolvimento e arrendamento mercantil.

A Stefanini é uma multinacional brasileira presente em 41 países que soma 32 anos de atuação no mercado.

Em 2018, a empresa registrou faturamento de R$ 3 bilhões, uma alta de 7% frente aos resultados do ano anterior.