A iniciativa quer promover o ensino de programação, especialmente entre crianças e jovens. Foto: Ollyy/Shutterstock.com.

A Fundação Lemann e a Fundação Telefônica Vivo lançaram em setembro o Programaê!, um movimento para democratizar o ensino de programação em todo o Brasil. A iniciativa trabalha com dois objetivos: promover o aprendizado da programação, especialmente entre crianças e jovens; e mobilizar a sociedade em prol dessa iniciativa e das transformações sociais. 

Para as lições de a programação o projeto disponibiliza ferramentas online gratuitas, como o Scratch, a Khan Academy, o Codecademy e o Code.org. A iniciativa ainda prevê a formação de quem deseja ensinar, seja por meio de oficina ou por meio de pontes entre programadores experientes, professores, monitores e educadores iniciantes. 

O Programaê! também promove o ensino de programação em instituições sociais e educacionais. 

“O domínio das ferramentas digitais, como a programação, são competências necessárias para qualquer jovem do século 21. Queremos, com essa parceria, empoderar os jovens com conhecimento e formação para atuarem, aliados à tecnologia, como atores da transformação social que desejam”, comenta Gabriela Bighetti, presidente da Fundação Telefônica Vivo.

O domínio da linguagem da tecnologia pelas novas gerações tem aparecido cada vez mais no debate sobre educação. Na Inglaterra, por exemplo, começou em setembro o ensino obrigatório de programação durante todo o ensino básico escolar.

Outro projeto desse tipo foi lançado no Brasil em maio. A Locaweb e o centro de treinamento em programação Caelum lançaram o  Ano do Código – Vem programar!, uma iniciativa destinada a atrair jovens para a área de tecnologia inspirada em similares americanos como Code.org. Também apoiam a iniciativa o Grupo de Usuários Java, o centros de treinamento Alura, a consultoria  Code Miner, a editora de livros Casa do Código e a Globo.com.