App de namoro recebe aporte e mira crescimento. Foto: reprodução.

O Happn, startup francesa responsável pelo aplicativo de relacionamento por hiperlocalização, fechou uma segunda rodada de financiamento de € 12,5 milhões, de olho na expansão de sua marca globalmente.

O aporte foi liderado pela europeia Idinvest, com a participação de Alven Capital, DN Capital, Raine Ventures e de investidores individuais como Fabrice Grinda, David Wolfson e Gil Penchina. Há um ano, a empresa levantou inicialmente US$ 8 milhões.

Com o aporte, o plano da companhia é aumentar a sua presença em territórios como a Ásia, Estados Unidos e América do Sul, chegando a uma base de 10 milhões de usuários até o final de 2015, com uma média de 1 milhão de novas pessoas a cada mês.

Atualmente a plataforma já conta com cerca de 6 milhões de usuários. Segundo informações da assessoria de imprensa do Happn, o Brasil já ocupa uma grande fatia desse público, com aproximadamente 1 milhão de usuários.

“Temos acompanhado um crescimento fenomenal desde o lançamento mundial no ano passado, e planejamos continuar expandindo para mais países em todo o mundo", afirma Didier Rappaport, co-fundador e CEO do Happn.

O crescimento do Happn chega a ofuscar inclusive o popular Tinder, app semelhante criado em 2012 e que teve uma explosão de popularidade em 2014, chegando a contar com 50 milhões de perfis ativos.

Desde então, o Tinder passou a investir também em maneiras de rentabilizar seus negócios, incluindo ações promocionais de marcas em meio aos perfis e matches do serviço, assim como uma versão paga do app, com mais recursos.

Segundo destacaram analistas para o TechCrunch em maio, com os novos meios de arrecadação o Tinder pode fechar o ano com uma receita de até US$ 75 milhões, um caminho que o Happn também pode seguir caso atinja a massa crítica desejada.