Resposta high tech para o problema do coronavírus? Foto: https://www.flickr.com/photos/shemp65

O Twitter e o Facebook não vão participar do badalado festival de inovação e criatividade SouthBySouthWest (SXSW), previsto para acontecer em duas semanas em Austin, no Texas, alegando preocupações relativas ao coronavírus.

Segundo o jornal americano The Verge, empresa cancelou a ida do CEO Jack Dorsey, que seria um dos destaques da programação, e também as viagens de funcionários à conferência.

Horas depois a mesma informação foi revelada pelo Business Insider a respeito do Facebook. 

Os cancelamentos não são surpreendentes. O Twitter já havia anunciado no domingo, 01, que cancelaria “eventos e viagens de negócios que não sejam críticas” até que uma vacina esteja disponível ou até que Organização Mundial da Saúde estabeleça que não é mais necessário adotar medidas de precaução contra uma pandemia.

Já o Facebook adotou uma política similar, cancelando inclusive a sua conferência para desenvolvedores F8, que atrai ela mesma alguns milhares de participantes.

As saídas do Facebook e do Twitter podem desencadear no SXSW uma onda similar à que levou ao cancelamento do Mobile World Congress, previsto para acontecer no final de fevereiro em Barcelona.

No congresso de mobilidade, grandes empresas começaram a cancelar a participação, alegando preocupação com a saúde dos seus funcionários. 

A medida que o número de cancelamentos foi crescendo, cresceu também a pressão sobre as empresas que pretendiam ir. Participar virou um sinal de despreocupação com a saúde dos funcionários.

A motivação de não parecer despreocupada com a sua força de trabalho pode ser maior ainda entre as empresas de tecnologia e agências criativas que são o público chave do SXSW, e que fazem mimar seus funcionários a lei máxima da política de RH.

Assim como a organização do Mobile World Congress nos primeiros cancelamentos, os organizadores do SXSW mantém que o evento vai acontecer. 

“Muito sobre o Covid-19 não é conhecido, mas o que nós sabemos é que higiene pessoal é de importância crítica. Esperamos que as pessoas sigam a ciência, sigam as recomendações das agências de saúde públicas e sigam participando de atividades que mantém o mundo conectado. Esse é o nosso plano”, disse um porta voz do SXSW ao jornal americano USA Today.

Uma declaração inspiradora, mas vez atingida uma massa crítica de cancelamentos, no entanto, a tendência é dar uma volta atrás. 

O Mobile World Congress também tentou implementar medidas de prevenção, como proibir apertos de mão e desinfetar microfones, mas no final o medo foi mais forte.

O Texas só tem até o momento 10 casos do coronavírus, todos concentrados em San Antonio, distante a pouco mais de 100 km de Austin. São pacientes em quarentena vindos da China. 

A pandemia ainda está nos estágios iniciais nos Estados Unidos, ao contrário da Europa, onde ela já estava mais avançada quando do cancelamento do Mobile World Congress.

Marcada para acontecer entre 13 e 22 de março, o SXSW atrai cerca de 200 mil visitantes para Austin, que, apesar de ser a capital do Texas, é uma cidade de porte médio, com 900 mil habitantes e uma reputação de meca da cena alternativa americana.

Muita gente na cidade parece achar melhor não importar visitantes e “manter o mundo conectado”, para usar as palavras do organizador do SXSW: ao todo, 25 pessoas já assinaram uma petição online pedindo o cancelamento do evento.