A IBM AgriTech será uma plataforma aberta, neutra e agnóstica. Foto: Divulgação.

A IBM Brasil está em fase de desenvolvimento da IBM AgriTech, uma plataforma aberta, neutra e agnóstica feita em parceria com empresas tradicionais do agronegócio e com companhias emergentes do setor de tecnologia agrícola brasileiro, como a Agrotools.

O objetivo da ferramenta é consolidar dados, tecnologias e soluções para resolver as demandas deste mercado.

A plataforma une tecnologias IBM - como computação cognitiva, internet das coisas, blockchain e dados meteorológicos da Weather Company - com outras soluções brasileira focadas no setor.

Uma das parceiras é a Agrotools, empresa que há mais de 10 anos mantém um banco de dados territorial do agronegócio tropical e que dispõe de uma metodologia e um motor de mapas para operar na imprecisão fundiária brasileira.

“A IBM AgriTech viabiliza soluções de tecnologia que ajudam o agronegócio, sem intenção de beneficiar determinada indústria. Isto permite que haja confiança necessária para integrar e fazer circular, ao longo da cadeia de valor, informações que hoje estão fragmentadas. Estamos trabalhando para a criação e a manutenção de um ecossistema de parceiros”, explica Luis Otavio da Fonseca, líder de agronegócio digital da IBM.

A IBM AgriTech conta com competências tradicionais da IBM em termos de integração de sistemas, algoritmos analíticos e cognitivos, desenvolvimento de software e computação em nuvem.  

“A circulação de dados e o raciocínio geo-espacial ao longo da cadeia produtiva são fundamentais para a transformação digital do campo. Estamos engajados com a IBM para construirmos uma plataforma geo-cognitiva e aberta para o agronegócio, permitindo a circulação de dados assim como a extração de insights”, afirma Fernando Martins, CEO da Agrotools.

As tecnologias que constituem a plataforma buscam a resolução de problemas do agronegócio ligados a compliance, gestão de risco, análise de imagens, seleção e planejamento de culturas e por fim, transações de crédito rural, incluindo operações de barter. 

“Nosso objetivo é consolidar uma plataforma tecnológica na nuvem e com dados do agronegócio que hoje estão fragmentados por este ecossistema. Desta forma, fornecemos o ferramental tecnológico fundamental para o desenvolvimento de soluções inovadoras para o setor e ainda teremos espaço para a construção de um marketplace global para a comercialização destas soluções”, afirma Ulisses Mello, diretor do laboratório de pesquisa da IBM Brasil.

A IBM AgriTech consolidará informações públicas muitas vezes difíceis de serem encontradas e as deixará acessíveis para os usuários. 

Os usuários poderão acessar e contratar os serviços da IBM AgriTech on-line e pagarão o equivalente ao seu consumo, seja de dados ou soluções construídas com os recursos da plataforma.