MOVIMENTAÇÃO

Google divulga impacto da covid-19 segundo o Maps

03/04/2020 16:14

No Brasil, saídas para recreação caíram em 71%, enquanto a ida a locais de trabalho caiu 34%.

Nos transportes públicos, a queda foi de 62% na média nacional. Foto: Fotomovimiento.

Tamanho da fonte: -A+A

O Google divulgou dados de localização de smartphones que revelam o impacto do coronavírus na movimentação das pessoas em 131 países e regiões entre 16 de fevereiro e 29 de março.

De acordo com o site ZDNet, os dados mostram tendências de movimento em locais como varejo, recreação, mantimentos, farmácias, parques, estações de trânsito, locais de trabalho e residenciais.

Na Itália, o país mais atingido da Europa, o declínio nas visitas ao varejo começa gradualmente após 16 de fevereiro, acelerando rapidamente após 1º de março.

Em 29 de março, as idas a lojas caíram 94%, enquanto as visitas a parques e locais de trabalho caíram 90% e 63%, respectivamente.

Já no Brasil, de acordo com a Época Negócios, o relatório mostra uma queda de 71% nas movimentações para recreação, que inclui locais como restaurantes, shopping centers, parques temáticos, museus, livrarias e cinemas.

Na ida a parques naturais, como praias, praças e jardins públicos, a redução é de 70%.

A ida para supermercados, mercearias e farmácias apresentou uma queda menor, de 35%. Uma retração semelhante, de 34%, foi registrada na ida a locais de trabalho. 

Nos transportes públicos, a queda foi de 62% na média nacional.

Além disso, houve um aumento de 17% no número de pessoas que ficaram em casa nesse período por todo o país.

O Google também disponibilizou os números para todos os estados brasileiros. 

A maior queda na circulação para recreação ocorreu em Santa Catarina, com um índice de 80%, seguido por Sergipe, com 78%, e Paraíba, com 76%, além de Paraná e Rio Grande do Sul, ambos com uma diminuição de 75%.

Já a ida aos parques e praias teve as maiores quedas em Santa Catarina (-84%), Alagoas (-79%), Sergipe (-77%), Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro (-74%).

Quem ficou mais em casa foram os brasilienses, gaúchos e catarinenses (20%), potiguares (19%), piauienses e sergipanos (18%).

Em São Paulo, estado com o maior número de casos no país, a queda nas saídas para recreação foi de 72%, enquanto a ida a parques e praias diminuiu em 71% e a permanência em casa aumentou 17%.

Os relatórios do Google são baseados em dados de aplicativos como o Google Maps e de dispositivos que ativaram o histórico de localização nas configurações.

Veja também

ZOOMBOMBING
Cuidado ao fazer um evento no Zoom

Trolls estão invadindo eventos públicos na plataforma e veiculando pornografia.

NÃO DEMITA
Empresas convocam para manifesto contra demissões

Entre as 40 companhias, estão nomes como Accenture, CI&T, Stefanini, Microsoft e Salesforce.

ESTRATÉGIA
Como fazer vendas B2B em tempos de Covid-19

Crise é mais uma objeção para vendas. É previso evitar ela, não contornar.

TELEFONIA MÓVEL
Operadoras vão repassar localização de usuários ao MCTIC

Dados devem estar organizados de forma estatística para acompanhar concentração de pessoas.

ATENDIMENTO
Governo autoriza fechamento de call centers

Portaria parece uma preparação para uma piora no cenário do coronavírus.

RODÍZIO
Peru: mulheres saem num dia, homens no outro

Medida visa facilitar a fiscalização do cumprimento da quarentena no país.

CERTIFICAÇÃO
MicroStrategy libera cursos na quarentena

Treinamentos que custam, em média, US$ 600 estão disponíveis gratuitamente até 30 de abril.

IMPACTO
Queda no faturamento já atinge 89% dos pequenos negócios

De acordo com o Sebrae, grande parte dos empreendimentos pode fechar as portas em um mês.

CORONAVÍRUS
TI do Rio de Janeiro aderiu em peso ao home office

Levantamento do sindicato TI Rio mostra que 99% entraram no sistema.

ECONOMIA
Governo autoriza corte de salário e redução da jornada

Tesouro Nacional pagará uma compensação no valor do seguro-desemprego por até dois meses.