Cleber Morais. Foto: divulgação.

A Bematech, desenvolvedora de soluções de TI e automação para varejo e setor hoteleiro, fechou esta semana um acordo para a aquisição da Unum, companhia paulista de software para gestão de varejo, por R$ 30 milhões.

O contrado firmado prevê ainda um pagamento adicional de R$ 10 milhões, que poderá ser efetuado a partir do terceiro ano, dependendo do desempenho da Unum.

Os 56 funcionários da Unum serão absorvidos pela Bematech e a expectativa é de concluir a incorporação em até cem dias.

Com a compra, a Bematech pretende investir no uso da computação em nuvem para incrementar seus produtos. A Unum desenvolve softwares de ERP com recursos de acesso na nuvem, atendendo a varejistas de moda, materiais de construção, calçados, acessórios e óticas.

Em 2013, a Unum fechou o período com um faturamento de R$ 10 milhões, e a expectativa é que ela traga à receita da Bematech um acréscimo de 3%. No ano passado, a empresa compradora teve uma receita de R$ 365,4 milhões.

Atualmente, a Unum possui uma carteira de 1,5 mil empresas, que não eram atendidas pela Bematech. Cleber Morais, presidente da Bematech, destaca que a solução servirá tanto para ampliar o portfólio de serviços como para a prospecção de novos clientes.

“Estamos muito confiantes e satisfeitos com esta aquisição, pois ela nos permite consolidar e fortalecer a nossa atuação na vertical de varejo, expandindo nossa possibilidade de participação em diferentes segmentos", afirma Morais.

A Unum é mais uma na lista de aquisições que a Bematech vem fazendo nos últimos anos, em busca de novos produtos para seu portfólio. Desde 2008, a empresa já soma cerca de dez aquisições.

Em janeiro, a Bematech adquiriu parte da RJ Participações, desenvolvedora de soluções de venda de passagens rodoviárias, por R$ 16,5 milhões. Com as novas compras, o plano da empresa é focar no segmento de mobilidade, alimentação, hotelaria de transportes.

“A aquisição da Unum é mais um avanço da nossa estratégia de M&A e a consolidação de uma de nossas metas – alcançar um crescimento robusto, tanto orgânico quanto inorgânico, por meio do desenvolvimento de novas ofertas e agregando ao nosso portfólio empresas que gerem valor para a companhia, clientes e acionistas”, finaliza Morais.

Sua concorrente no segmento de varejo, a Linx, também foi às compras. Em abril, a empresa comprou a Rezende Sistemas, especializada em gestão e automação de postos de gasolina, por R$ 49,9 milhões.

Nesta segunda-feira, a empresa firmou uma joint-venture com a Cielo para fornecer soluções integradas de gestão em varejo com pagamento eletrônicos, voltadas a empresas de pequeno e médio porte.