A maioria do pessoal ainda está embaixo. Foto: flickr.com/photos/francoisroche

Um número importante de empresas brasileiras ainda está totalmente de fora da tendência de computação em nuvem, aponta um estudo da Frost & Sullivan com 121 empresas brasileiras segundo o qual 38,1% dos pesquisados não tinham adotado qualquer solução baseada na tecnologia em 2012.

A tendência, no entanto, é que o número diminua com o passar do tempo: 23,1% estavam estudando o conceito e 15,7% já tinham executado projetos-piloto. A cifra dos que já embarcaram chega a  23,1%.

Além disso, a metade dos pesquisados planejava aumentar seu orçamento dedicado para soluções de computação em nuvem em mais de 10% em 2013. Um terço tinha a expectativa de ter mais de um terço da sua infraestrutura na nuvem.

“Para permitir que os clientes compreendam os benefícios da tecnologia, fornecedores de software podem oferecer projetos-piloto para aplicações mais simples, como e-mail, antes de passar para as funções mais críticas”, analisa  Bruno Tasco, analista da indústria de tecnologia da Frost & Sullivan.

De acordo com Tasco, os clientes tem dado prioridade para  para empresas focadas em datacenter e empresas globais de TI que oferecem soluções com bom custo-benefício, com as operadoras de telecomunicações correndo por fora para adaptar seu portfólio.