Foto: flickr.com/photos/nanpalmero

A receita no segundo trimestre da rede social corporativa LinkedIn superou as estimativas do mercado, levando a empresa a elevar seu guidance para o ano.

A companhia registrou um aumento de 89% em sua receita no período, para US$ 228,2 milhões, superando a estimativa média de analistas, que previam que o dado seria de US$ 216,3 milhões, segundo a pesquisa Thomson Reuters I/B/E/S.

O LinkedIn também elevou sua projeção de receita para 2012 para uma faixa de US$ 915 milhões a US$ 925 milhões. A previsão anterior era de US$ 880 milhões a US$ 900 milhões.

O lucro líquido da empresa foi de US$ 2,8 milhões, ante US$ 4,5 milhões no segundo 2T11.

Rede social focada em perfis profissionais, a companhia lucra ao vender registros premium e por meio de anúncios, além de ajudar as empresas registradas com o processo de contratação.

Apesar de ter 150 milhões de usuários no mundo – 15,78% dos 800 milhões do Facebook – o LinkedIn tem tido mais sucesso na sua relação com investidores.

Desde a IPO, que desapontou todas as projeções de sucesso, o Facebook tem problemas.

Calcula-se que as perdas dos bancos e corretoras devido à fracassada estreia do Facebook no mercado na bolsa Nasdaq há aproximadamente três meses pode ser maior do que US$ 200 milhões.