A equipe do SAP Labs Latin America vai crescer 90% até 2020. Foto: Divulgação.

A equipe do SAP Labs Latin America, localizado em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, vai crescer 90% até 2020. 

Com isso, a unidade vai passar dos atuais 900 colaboradores para aproximadamente 1.710 nos próximos 3 anos.

Entre as cerca de 810 contratações, pelo menos 600 serão feitas nos primeiros dois anos.

A abertura de novas vagas faz parte do plano de expansão da SAP em São Leopoldo. Em março, a companhia revelou que investirá mais R$ 40 milhões nos próximos cinco anos no centro de suporte e desenvolvimento da cidade.

O anúncio foi feito em Brasília, durante uma reunião da qual participaram Bill McDermott, CEO da SAP, e o presidente Michel Temer.

Um dos fatores importantes para a ampliação da unidade de São Leopoldo é a abertura do SAP Leonardo Center na unidade. O SAP Labs Latin America foi selecionado como um dos quatro primeiros centros de co-inovação e transformação digital da companhia, junto com Paris, Nova Iorque e Bangalore.

Os Leonardo Centers atuam como um espaço aberto para clientes e parceiros focado em projetos de transformação digital. O trabalho é desenvolvido com base em design thinking e na plataforma SAP Leonardo - que reúne tecnologias como internet das coisas (IoT), machine learning, big data, blockchain e analytics.

Hoje, em São Leopoldo, há um time de 30 pessoas que trabalha com foco no portfólio SAP Leonardo, dando suporte local ao SAP Leonardo Center.

“O SAP Labs combina uma alta concentração de talentos, clientes e parceiros que desempenharão um papel importante na implementação das estratégias do Leonardo. A unidade já possui um longo histórico de colaboração e inovação conjunta com os clientes, e o SAP Leonardo baseia-se nisso para a construção da economia digital”, ressalta Dennison John, presidente do SAP Labs Latin America.

Além disso, John brinca que há outros motivos para o potencial do trabalho com o SAP Leonardo no espaço de São Leopoldo.

“Na unidade trabalham mais de 40 pessoas que se chamam Leonardo, e inclusive o nome da cidade poderia mudar para São Leonardo”, diverte-se o presidente.

O histórico de co-inovação citado por John tem um projeto com a Stara, fabricante gaúcha de implementos agrícolas, como destaque. A companhia pode ser considerada a "cliente zero" no Brasil para o Leonardo.

Em conjunto com o SAP Labs, a empresa desenvolveu uma solução de IoT que posteriormente acabou se tornando o SAP Connected Agriculture, um produto dentro do Leonardo. A tecnologia registra e analisa dados captados no campo a partir da integração de telemetria à plataforma SAP Cloud.

O crescimento da equipe do SAP Labs também tem relação com pesquisas na área de big data. 

No final de 2016, a empresa abriu 30 vagas para profissionais focados em trabalhar com a SAP Hana Vora, plataforma em memória para análise de grandes volumes de dados.

Lançado no começo do ano passado, o Vora une bancos de dados open source usados em projetos de big data como Hadoop e Spark com o Hana, em que se acumulam dados de sistemas da empresa como SAP BW, Business Objects e o ERP. A empresa tem hoje 30 novas vagas abertas com foco no projeto Vora.

Além disso, há uma equipe em São Leopoldo que trabalha na localização para o brasil do sistema SAP Fieldglass, focado de gestão de equipes terceirizadas. A SAP adquiriu a Fieldglass em março de 2014.

Em 2016, o laboratório também abriu outras novas áreas, como Cloud Advisory Office (focada em clientes da Hana Enterprise Cloud), Solution Delivery Center (que entrega serviços para clientes premium) e Digital Farming & Agricultural Applications (área focada em IoT para agricultura de precisão, que nasceu com o projeto da Stara).

A SAP conta com laboratórios de desenvolvimento como o de São Leopoldo em outras 18 localidades, em países como Índia, China, Israel, Rússia, Bulgária, França e Canadá.